Menu

Luiz Carlos Felizardo: Patrimônio cultural gaúcho

Retrato de Luiz Carlos Felizardo
Foto: Carlos Macedo

Luiz Carlos Felizardo nasceu em Porto Alegre no ano de 1949. Ele iniciou seus estudos nas áreas de música e arquitetura na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, em 1968. Trabalhou com programação visual e desenho industrial e, mais tarde, começou a trabalhar com fotografia publicitária. Em 1976, abriu seu estúdio e trabalhou com fotografias do patrimônio histórico gaúcho. Em 1984, ganhou uma bolsa de estudos da Comissão Fulbright onde trabalhou com o fotógrafo Frederick Sommer, em uma das experiências que considera precursora em sua carreira, cujos resultados foram exibidos, no ano seguinte, no Museu de Arte do Rio Grande do Sul (MARGS). Felizardo é especialista em fotos preto e branco e em grande formato.

Cemitério Santa Bárbara, 1974
Foto: Luiz Carlos Felizardo

As obras do autor mostram um equilíbrio entre os trabalhos de cunho profissional com os de expressão pessoal. Aproveitando seu conhecimento na área da arquitetura, Felizardo documenta, por exemplo, diversos aspectos da arquitetura gaúcha e da capital Porto-Alegrense, para além dos exemplos remanescentes da arquitetura jesuíta, tematizada no ensaio intitulado O sonho e a Ruína: São Miguel das Missões.  Seu trabalho sobre as Missões é resultado de auxilio de trabalho do Edital Arte e Patrimônio do Ministério da Cultura. Felizardo ainda possui mais algumas obras de destaque como: O Relógio de Ver (2000), Imago (2010) e Usina do Gasômetro Centro Cultural (2001) da Coleção Senac de Fotografia.

Foto: Luiz Carlos Felizardo
Foto: Luiz Carlos Felizardo

Em 1990, Luiz Carlos Felizardo, ganhou uma bolsa de estudo da Fundação Vitae para escrever um ensaio sobre os anos em que Sommer passou no Brasil. Em 2008 ele ganhou uma Bolsa de Estímulo à Criação Artística da Funarte desenvolvendo o projeto Querência sobre a zona rural gaúcha, do qual resultou em um livro ainda inédito.

Jogo do Olhar, 1991
Foto: Luiz Carlos Felizardo
Foto: Luiz Carlos Felizardo

A obra de Felizardo apresenta o seu interesse estético pela fotografia preto e branco. É perceptível o cuidado técnico em suas obras, o uso de profundidade de campo fornece às suas fotografias uma nitidez intensa. O cuidado com a composição e com o profundidade de tons também faz com que seu trabalho se destaque.

11/05/2021

0 comentários em “Luiz Carlos Felizardo: Patrimônio cultural gaúcho”

Publique seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado.