Menu

mulher

Rochelle Brock e sua fotografia inclusiva e positiva

A fotógrafa Rochelle Brock, de Nova York, iniciou sua trajetória aos 16 anos de idade, fotografando coisas as quais ela gostava. Com o tempo ela descobriu que sua paixão eram as pessoas, especialmente as pessoas negras e “avantajadas” como ela. Brock encontrou na fotografia uma forma de dar voz aquelas pessoas sub-representadas, retratando a positividade ao corpo.

26/11/2019

Continue lendo

Naima Green: Um trabalho com uma proposta representativa

Pursuit, trabalho da fotógrafa Naima Green, consiste em um baralho de 54 cartas que retrata pessoas trans, não-binárias, mulheres queer e indivíduos que não se identificam conforme a identidade de gênero socialmente atribuída ao seu sexo. Para a construção de sua obra, Naima se inspirou no baralho “Dyke Deck” de Catherine Opie, onde a fotógrafa explora a questão do corpo lésbico na fotografia. Green tenta mostrar a diversidade existente e que, às vezes, não é lembrada.

12/11/2019

Continue lendo

Nina Leen: A moda no pós-Guerra dos Estados Unidos

Com sua câmera Rolleiflex, a fotógrafa russa Nina Leen contribuiu com a Life ao longo de mais de 30 anos, de 1940 até o fim da revista, em 1972. Conhecida como “uma das primeiras mulheres” a integrar o staff do periódico, Nina, no entanto, não fazia parte do time oficial da publicação. Ainda assim, teve a oportunidade de desenvolver uma vasta produção de imagens, desde fotos curiosas de animais até retratos de artistas como Jackson Pollock e Mark Rothko. Também concebeu uma série de editoriais de moda – trazemos alguns exemplos dessa faceta da fotógrafa no post de hoje.

06/03/2015

Continue lendo

Sarah Elliott: As mulheres que sangram

O ensaio que ilustra este post é um belo exemplo da eficiência da fotografia em evocar sentimentos e mensagens que as palavras muitas vezes falham em transmitir. O debate acerca do aborto é constante, mas, aqui, são as imagens que servem como um argumento contundente. E se a internet é um dos principais palcos dos […]

24/09/2013

Continue lendo

Lucien Clergue: Nus e sombra

Nascido em Arles, em 1934, Lucien Clergue é um dos mais respeitados fotógrafos franceses. Dono de uma carreira de mais de 50 anos, é celebrado no mercado de arte internacional e tem em sua cidade natal sua principal fonte de inspiração. Nus femininos, sombras e as sinuosas combinações de ambos foram alguns de seus assuntos preferidos – e são esses que contemplamos neste post. Tratam-se de categorias incansavelmente abordadas por inúmeros fotógrafos, não são poucos os estudos existentes sobre as formas do corpo e jogos de luz e sombra.

28/01/2013

Continue lendo