Menu

Quintina Valero: Chernobyl 30 anos depois

Retrato de Quintina Valero

Entre abril de 2015 e março de 2016, a fotógrafa espanhola Quintina Valero percorreu a região de Narodychi, na Ucrânia, uma das mais afetadas pela explosão da usina nuclear de Chernobyl em 1986. Localizada 50 quilômetros a sudoeste do local do acidente, estima-se que a área teve cerca de 100 mil pessoas contaminadas pela radiação – em torno de 20 mil delas, crianças.

Foto: Quintina Valero

Foto: Quintina Valero

Foto: Quintina Valero

Foto: Quintina Valero

A tragédia maior se deve, segundo o relato da fotógrafa, ao enorme atraso na evacuação da população de Narodychi, que teria acontecido somente cinco anos após o acidente. Além da falha e consequente retardo na verificação dos níveis de radiação, as remoções teriam sido mal organizadas, deixando muitas pessoas para trás.

Foto: Quintina Valero

Foto: Quintina Valero

Foto: Quintina Valero

Foto: Quintina Valero

Há, no entanto, aqueles que acabaram retornando às localidades, seja pelo desejo de voltar a seus lares, pela descrença nos perigos da radiação ou pela necessidade de abandonar regiões em conflito para onde tinham se deslocado após o acidente. Também por falta de opção, muitos dos moradores acabam consumindo os alimentos que plantam no solo contaminado, aumentando os riscos em relação à saúde.

Foto: Quintina Valero

Foto: Quintina Valero

Foto: Quintina Valero

Foto: Quintina Valero

O cenário encontrado pela fotógrafa é de uma região abandonada. O atendimento médico é deficitário, sendo complementado com o apoio de órgãos internacionais. Doenças cardiovasculares, problemas no sistema imunológico e mortes por câncer atingem números alarmantes. Dramas que acabam se tornando parte de uma rotina desesperadora.

Foto: Quintina Valero

Foto: Quintina Valero

Foto: Quintina Valero

Foto: Quintina Valero

Foto: Quintina Valero

Quintina Valero estudou finanças e em 2001 se mudou para Londres, onde estudou fotojornalismo na London College of Communication. Suas séries retratam populações em situações de precariedade, muitas delas tematizando a questão da migração na Europa. Valero também já investigou a vida de ciganos nos Bálcãs e em países como Jordânia, França, Espanha e Inglaterra. A fotógrafa já exibiu seu trabalho em diversos países europeus.

Foto: Quintina Valero

Foto: Quintina Valero

Foto: Quintina Valero

25/04/2017

0 comentários em “Quintina Valero: Chernobyl 30 anos depois”

Publique seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado.