Skip to content

31 de julho de 2015

Wiliam Ropp: escultor de sombras

 

 

Depois de comentarmos o trabalho em cor de Wiliam Ropp, hoje apresentamos uma mostra da sua produção em preto e branco, com fotografias de viagens do fotógrafo francês a Mali, na África.

 

 

 

 

Nestas imagens percebemos os fotografados em meio à natureza – um caminho distinto da suspensão de contexto das imagens coloridas que vimos no post anterior. Ainda assim, embora mais fincadas no real, as fotos nos trazem rostos animados por certo mistério.

 

 

 

 

Desde 1988, quando passou a se dedicar mais intensamente à fotografia, Ropp fez um uso do preto e branco que chamou atenção – tanto em locais ao ar livre como em estúdio, prática que desenvolveu até 2010, quando adotou a fotografia em cores para seus trabalhos.

 

 

 

 

O teatro (origem profissional de Ropp, como já mencionamos) é uma influência importante no trabalho do fotógrafo. No entanto, seu apelido traz à tona outra linguagem artística: ele é conhecido como Shadow Sculptor, escultor de sombras. E é nas imagens em preto e branco que entendemos melhor a alcunha, ao observarmos o cuidado do fotógrafo com as luzes e sombras – que de certa forma esculpem os rostos e corpos de seus personagens.

 

 

 

Comments are closed.