Skip to content

22 de setembro de 2017

Tim Walker: moda, sonho e fantasia

Retrato de Tim Walker

Os editoriais de moda do fotógrafo inglês Tim Walker são mais do que meras construções visuais para apresentar peças de roupas e seus modelos. Com ensaios publicados mensalmente na revista Vogue há mais de uma década, Walker concebe imagens marcadas por uma forte carga onírica, que situam as fotografias muito além do contexto da “fashion industry”. Além do apuro estético presente nas composições, chama atenção a forma como ganham destaque os personagens das suas fotografias.

Foto: Tim Walker

Foto: Tim Walker

“Um retrato que não traz nenhuma verdade sobre o retratado é irrelevante. Quando me encomendam o retrato de algum modelo, eu faço uma pesquisa sobre essa pessoa – quem é, o que representa e o que nela me atrai. Ao fazer um retrato, você está jogando com a identidade dessa pessoa, não é como uma fantasia, e eu penso que isso é algo muito delicado e vulnerável. Por ser uma coisa tão frágil, é necessário colaborar com quem posa para a foto”, explica Walker em entrevista à publicação The White Review.

Foto: Tim Walker

Foto: Tim Walker

O cuidado na relação com cada modelo reflete o pensamento do fotógrafo a respeito do contexto em que atua. “Vejo a moda, de forma majoritária, perpetuando algo que já passou, particularmente no que diz respeito à forma como os seres humanos são retratados. Acho isso repetitivo. Acredito que sempre fui atraído por aquilo que é um pouco mais individual”, conta.

Foto: Tim Walker

Foto: Tim Walker

Com fotografias nas coleções permanentes de renomadas instituições inglesas, como o Victoria & Albert Museum e a National Portrait Gallery, Walker explica que a moda e as marcas, mais do que uma motivação para o seu trabalho, são as responsáveis por tornar possível a materialização da sua criatividade. “Penso que sempre usei a indústria da moda como um mecanismo para financiar e apoiar o meu trabalho. Se eles o fazem e estão contentes, então está tudo bem”, conta.

Foto: Tim Walker

Foto: Tim Walker

Para Walker, cada imagem é um universo de fantasia no qual se constrói uma conexão entre modelo, fotógrafo e leitor/espectador: “Acredito que o modelo é a janela para o observador – qualquer pessoa – fazer parte desse universo. Sou eu perguntando, convidando para entrar naquele clima, seja ele sinistro ou de conto de fadas”.

Foto: Tim Walker

Foto: Tim Walker

Nascido em 1970, Tim Walker teve seu interesse pela fotografia iniciado na biblioteca Condé Nast, trabalhando por um ano no arquivo Cecil Beaton, antes de entrar na faculdade. Depois de três anos estudando fotografia na Exeter College of Art, recebeu o terceiro prêmio no concurso The Independent Young Photographer Of The Year. Após graduar-se, em 1994, trabalhou como assistente freelance em Londres e depois trabalhou na assistência de Richard Avedon, em Nova York. Retornou à Inglaterra e aos 25 anos realizou para a Vogue seu primeiro editorial de moda. Desde então faz ensaios para as edições britânica, italiana e americana da publicação e para revistas como a W Magazine. Vivendo em Londres, além dos editoriais, realiza filmes, lança livros e participa de diversas exposições.

Read more from Sem categoria

Comments are closed.