Skip to content

5 de outubro de 2011

Martin Chambi, um fotógrafo indígena

Autoretrato de Martin Chambi olhando para a placa, 1923.

“É errado focar demais no valor documental de suas fotos. Elas tem essa qualidade, mas na mesma medida expressam o meio em que ele viveu (…) atrás da câmera, ele se tornou um gigante, um verdadeiro inventor, uma força de criação, um recriador da vida”
Mario Vargas Llosa

Machu Picchu. Foto: Martin Chambi

Nascido em 1891 em uma família de origem inca, Martín Chambi foi o primeiro fotógrafo indígena latino-americano — e sempre tentou registrar seu povo da forma como seu povo se via, sendo nisso, também, pioneiro. Com a maior parte de sua obra produzida na primeira metade do século 20, retratou a riqueza cultural de um povo ainda pouco conhecido.

Carnaval, 1929. Foto Martin Chambi

A origem humilde teve forte influência em seu olhar sobre a realidade peruana. Filho de agricultores, viu seus pais acompanharem o ciclo do ouro e começarem a trabalhar para a mineradora inglesa “Santo Domingo”. Lá, começou a auxiliar o fotógrafo oficial da empresa e, mais tarde, passou a desempenhar a mesma função para o popular Max T. Vargas, também fotógrafo.

Bodas de Don Julio Gade, 1930. Foto: Martin Chambi

Não demorou muito para que Chambi se tornasse independente e conhecido em todo o seu país. Cuzco, sua cidade natal, foi sempre sua grande musa. Em 1920, abriu um estúdio por lá e tornou-se o principal retratista da burguesia, logo passando a figurar na imprensa local e internacional. A atividade em estúdio era paralela a viagens e expedições para registrar paisagens e comunidades indígenas.

Pequeno Mendigo. Foto: Martin Chambi

Ao adotar convenções da fotografia e da arte européia, particularmente dos efeitos estilizados do pictorialismo e do uso de luz natural na fotografia feita em estúdio, construiu a base de seu sucesso entre clientes e em competições locais. Inspirado no trabalho de pintores como Rembrandt e Caravaggio, Chambi criou fotografias que são verdadeiras pinturas em preto e branco, cheias de jogos de luzes.

Pedra dos doze angulos. Cuzco,1930.

É destaque em sua obra os registros da paisagem andina, dos monumentos incas e da cultura indígena. Chambi foi, também, o primeiro fotógrafo a registrar a cidade de Machu Pichu, descoberta em 1911.

Vitor Mendivil e o Gigante. Foto: Martin Chambi

Read more from Sem categoria

Share your thoughts, post a comment.

(required)
(required)

Note: HTML is allowed. Your email address will never be published.

Subscribe to comments