Skip to content

30 de outubro de 2015

Limites urbanos de Alexander Gronsky

 

 

Uma frase da introdução do livro Pastoral, do fotógrafo Alexander Gronsky, define bem as imagens da série, que apresentamos no post de hoje: “uma série de paisagens encantadoras onde praticamente não há nada para se ver”. Um pouco do que já vimos no ensaio sobre a cidade de Norilsk, na Sibéria, mas agora em outra latitude: nos subúrbios de Moscou.

 

 

 

 

Gronsky novamente mostra fotografias em que as pessoas possuem dimensões ínfimas em meio às paisagens e às construções do homem. A escala é um componente desses lugares entre lugares, nos limites urbanos em que áreas residenciais, industriais e rurais se tornam permeáveis.

 

 

 

 

Os espaços retratados por Gronsky dão indícios de sua localização geográfica ao mesmo tempo que transmitem familiaridade – de certa forma, se parecem aos limites urbanos de qualquer grande cidade. Lugares aparentemente abandonados que, no entanto, revelam usos potenciais a quem os frequenta e os observa de forma imaginativa.

 

 

 

Comments are closed.