Skip to content

3 de novembro de 2017

Gjon Mili e os desenhos luminosos de Picasso

Retrato de Gjon Mili em seu estúdio.

Enquanto David Douglas Duncan retratou a intimidade do espanhol Pablo Picasso com um olhar afetivo, o fotógrafo Gjon Mili, sete anos antes, capturou os desenhos de Picasso em light painting (pintura com luz), transcendendo seus retratos ao aliá-los com o talento do artista. A espontaneidade de Picasso ao fazer seus desenhos durante as fotos, somada à técnica inovadora de Mili, deu o tom original ao trabalho.

Foto: Gjon Mili.

Foto: Gjon Mili.

Nascido na Albânia em 1904, Gjon Mili mudou-se para os Estados Unidos em 1923 e pode conhecer o mundo retratando os mais variados temas para a revista Life. No Instituto de Tecnologia de Massachusetts, em parceria com Harold Edgerton, desenvolveu a técnica do flash estroboscópico para captação de imagens em um único fotograma, quando este recurso era utilizado apenas para fins científicos.

O encontro entre Gjon Mili e Pablo Picasso aconteceu quando, em 1949, Mili viajou ao sul da França pela revista Life para fazer um ensaio fotográfico sobre o pintor. Após o primeiro contato, não hesitou em compartilhar suas primeiras experiências de light painting com o artista, um ensaio no qual patinadores tiveram luzes colocadas em suas botas e foram fotografados com a utilização da técnica de longa exposição combinada com um ou mais disparos de flash eletrônico. As fotos impressionaram Picasso e o inspiraram a fazer desenhos de luz no ar, para que Mili os fotografasse. Do resultado, nasceu o Picasso’s Light Drawings; um ensaio realizado durante cinco sessões de trabalho, há mais de 60 anos.

Foto: Gjon Mili.

Foto: Gjon Mili.

As sessões aconteceram no estúdio de Picasso, em Vallauris, França, com o ambiente às escuras. Um pequeno bico de luz tornava-se uma espécie de caneta, formando grafismos luminosos à medida que ele a movimentava. Em um dado momento um flash eletrônico era disparado, congelando a imagem de Picasso no final dos percursos trilhados pela luz.

Foto: Gjon Mili.

Foto: Gjon Mili.

Harmonia entre fotografia e cinema

Autodidata, Gjon Mili iniciou sua carreira fotográfica como freelancer na revista Life, em 1939 onde permaneceu por 45 anos. Trabalhou como fotografo durante toda a sua vida, tendo milhares de publicações na Life e em outras revistas. Em 1944, dirigiu o curta-metragem de nome Jammin’ the Blues. O curta possui pouco mais de nove minutos de pura ode ao blues, no qual artistas consagrados participaram para fazer música juntos. A técnica de repetições de imagens tão utilizada por Mili nas fotografias  ganha espaço no filme, apesar dele não ter assinado a fotografia do trabalho.

Foto: Gjon Mili.

Foto: Gjon Mili.

Gjon Mili morreu em Stanford, Connecticut, em fevereiro de 1984, em decorrência de uma pneumonia aos 79 anos.

Share your thoughts, post a comment.

(required)
(required)

Note: HTML is allowed. Your email address will never be published.

Subscribe to comments