Skip to content

15 de julho de 2013

Eric Valli e a extração de mel no Himalaia, parte 2

Em sua expedição ao Himalaia, que durou mais de 20 anos, o fotógrafo e cineasta francês Eric Valli teve a chance de acompanhar diversos povos desta região de extensas cordilheiras. Um deles é o Raji: uma comunidade originária de Uttarakhand, na Índia.

Foto: Eric Valli.

Foto: Eric Valli.

O estilo de vida nômade da comunidade Raji atraiu o interesse de Eric Valli desde que ele passou a viver no local, em 1973. Familiarizado com a cultura desse povo, o fotógrafo documentou as expedições de um grupo de aventureiros Raji que escalava árvores altíssimas na floresta Terai, em áreas planas do Nepal, próxima à Índia. Cerca de duas vezes ao ano, alguns membros da comunidade realizam a perigosa tarefa de colher o mel, ganha-pão da comunidade.

Foto: Eric Valli.

Foto: Eric Valli.

Como abordamos neste post, Eric Valli também registrou o trabalho da comunidade Gurung, habitante do Nepal. A busca dos Raji pelo mel das abelhas gigantes é semelhante à desta comunidade. Porém, o mel encontrado pelo grupo nepalês é extraído das imensas falésias locais, enquanto os Raji o colhem dos galhos das árvores. Trata-se de uma prática arriscada que envolve equilíbrio em estruturas feitas de cordas de bambu para subir até as copas.

Foto: Eric Valli.

Foto: Eric Valli.

O pequeno grupo de caçadores de mel possui um líder, que descreveu sua atividade de forma simples e direta a Valli: “Quando as pessoas da cidade sentem fome, elas vão a um supermercado; quando nós sentimos fome, nós vamos à floresta”. O convívio com a comunidade nômade rendeu, além deste ensaio intitulado “Jungle Nomads”, o documentário “Jungle Nomads of the Himalayas”, lançado em 2003.

Foto: Eric Valli.

Foto: Eric Valli.

Share your thoughts, post a comment.

(required)
(required)

Note: HTML is allowed. Your email address will never be published.

Subscribe to comments