Skip to content

17 de outubro de 2014

Ao sul do sul, com Luiz Abreu

Retrato de Luiz Abreu. Foto: Ricardo Jaeger

“Ao sul do sul há um lugar esquecido, fechado como um baú. O vento cruza a rua buscando abrigo, e não há testemunhas, ao sul do sul.” Podemos estabelecer um diálogo dos versos (em tradução livre) do cantor Jorge Drexler em Al Sur del Sur com as fotografias da série Banda Oriental, de Luiz Abreu.

Foto: Luiz Abreu

Foto: Luiz Abreu

Como no retrato uruguaio que a canção nos apresenta, as imagens do fotógrafo nos trazem lugares em que o isolamento ganha evidência, marcado pela imensidão do pampa.

Foto: Luiz Abreu

Foto: Luiz Abreu

Foto: Luiz Abreu

Construções abandonadas, lugares despovoados e rastros da atividade humana são registrados pela série. Ainda na carona dos versos de Drexler, é como se o tempo ao sul do sul tivesse parado, se distraído com uma coisa qualquer, deixando os espaços do pampa à espera de algum olhar atento que revelasse seus rincões.

Foto: Luiz Abreu

Foto: Luiz Abreu

Foto: Luiz Abreu

Figuras solitárias, habitações humildes, cachorros, um cavalo. Um pouco como o encerramento da canção que abre este post, quando Drexler sugere: se houvesse no mundo dois lugares somente, seria o segundo o fim do mundo, o sul do sul.

Foto: Luiz Abreu

Foto: Luiz Abreu

Nascido na cidade de Santiago (RS) em 1946, Luiz Abreu iniciou seus estudos em química na Universidade Federal do Rio Grande do Sul em 1968. Foi atendente no manicômio judiciário (1971-1975) e começou a fotografar pacientes em 1973. Abandonou o curso de química e dedicou-se a fotografia, descobrindo-a como instrumento de denúncia. Trabalhou como repórter fotográfico no jornal Folha da Manhã (1974-1977) e no jornal da Cooperativa dos Jornalistas (1977-1978).

Foto: Luiz Abreu

Foto: Luiz Abreu

Em 1978 foi um dos fundadores da agência Ponto de Vista, que publicou dois ensaios sobre o Rio Grande do Sul. Nos anos 80 trabalhou como freelance para revistas como Manchete, Istoé, Visão, Época e para os jornais Zero Hora, Jornal do Brasil, Folha de São Paulo e Globo. Entre 1999 e 2002 foi coordenador do departamento de fotografia do Governo do Estado do Rio Grande do Sul. Recebeu diversos prêmios de fotografia e fundou sua própria agência, a Documental, na qual desenvolve projetos pessoais.

Foto: Luiz Abreu

Foto: Luiz Abreu

Comments are closed.