Skip to content

4 de dezembro de 2015

Vida e morte na fotografia de Eran Gilat

 

 

Neurocientista há mais de 25 anos, Eran Gilat é também um apaixonado pela fotografia. No projeto Life Science [Ciências da vida], o israelense fotografa naturezas-mortas nas quais posiciona tecidos biológicos de animais.

 

 

 

 

A inspiração de Gilat vem do “embate”, como define o cientista, com materiais orgânicos em seu laboratório. “Leva um tempo até que um jovem médico ou pesquisador se acostume às cenas vistas em hospitais e laboratórios. Mesmo depois de muita prática, alguns não toleram ver algumas coisas. Acredito que minha atividade fotográfica também me leva a essas regiões perturbadoras”, conta o médico fotógrafo.

 

 

 

 

Com forte caráter pictórico, as imagens evocam questões sobre a vida e a morte, além de criarem um contexto ficcional que remete a experimentos científicos de outras épocas. Na visão de Gilat, as fotos ainda abordam a violência presente no comportamento tanto de seres humanos quanto de outros animais, questionando justamente o quão distinto seria o Homo sapiens em relação a outras espécies.

 

 

 

 

Nascido em Haifa, Israel, Eran Gilat é doutor em ciências médicas pelo The Israel Institute of Technology, com pós-doutorado no Albert Einstein College of Medicine de Nova York. Em paralelo à sua atividade científica, é docente no Israel Institute of Technology, Art and Curatorial Studies. Com o ensaio Life Science, participou de diversas exposições e festivais em Israel, nos Estados Unidos e na Europa.

 

Comments are closed.