Skip to content

19 de dezembro de 2014

Shigeru Yoshida: devoção à natureza

Retrato de Shigeru Yoshida.

“Nós, japoneses, rezamos não somente para Deus, mas também à natureza – ao Sol, aos rios, às árvores e às pedras. Oramos a nossos ancestrais e às pessoas que já não estão entre nós. Fazemos isso habitualmente, desde que nascemos. Rezar é mais ou menos isso para os japoneses: demonstramos respeito e gratidão a tudo nas orações.” O comentário do fotógrafo Shigeru Yoshida revela um pouco da intenção que permeia o ensaio Border [em português, “Fronteira”, “Limite”].

Foto: Shigeru Yoshida

Foto: Shigeru Yoshida

Concebido após os terremotos que atingiram a costa leste do Japão em 2011, Border concentra-se na ambiguidade metafórica do mar e da linha do horizonte: por um lado, paz, amplitude, tranquilidade; por outro – principalmente depois dos efeitos provocados pelas ondas gigantes –, a incerteza e o potencial devastador das águas.

Foto: Shigeru Yoshida

Foto: Shigeru Yoshida

“Quando visitei áreas afetadas pelo terremoto e pelo tsunami, vi muitas pessoas juntando as mãos para rezar. Parecia que todos faziam o mesmo, de forma muito natural, inclusive aqueles que não foram vitimados. Agora já faz mais tempo, mas essas pessoas seguem em suas orações”, conta Shigeru.

Foto: Shigeru Yoshida

Foto: Shigeru Yoshida

Shigeru Yoshida nasceu em Tóquio, em 1958. Graduou-se em Economia, e mais tarde, no final da década de 1980, passou a se dedicar à fotografia. Desde então, viajou o mundo tendo a natureza como foco principal de seu trabalho. Em suas imagens, busca “expressar a energia oculta das orações”.

Foto: Shigeru Yoshida

Foto: Shigeru Yoshida

Share your thoughts, post a comment.

(required)
(required)

Note: HTML is allowed. Your email address will never be published.

Subscribe to comments