Skip to content

13 de março de 2013

O olhar fotojornalístico de Carl de Keyzer

Retrato de Carl de Keyzer. Foto: Filip Meutermans.

Nascido em janeiro de 1958 em Kortrijk, na Bélgica, Carl de Keyzer é um fotógrafo contemporâneo membro da agência Magnum – foi indicado pela primeira vez em 1990, tornando-se integrante pleno em 1994. Seu estilo independe de imagens isoladas: ao invés delas, prefere um acúmulo de fotografias que permita um diálogo com o texto. Este, por sua vez, costuma sair de seus próprios diários de viagem.

Foto: Carl de Keyzer.

Foto: Carl de Keyzer.

De Keyzer começou sua carreira como fotógrafo freelancer em 1982, quando sua renda fixa provinha de um trabalho como instrutor de fotografia na Royal Academy of Fine Arts, em Ghent. Na mesma época, tornou-se cofundador e codiretor da XYZ-Photography Gallery. Desde que se consolidou como fotojornalista, investe em projetos longos, em grande escala, e temas gerais. Uma premissa básica da maior parte de seu trabalho é o colapso infra-estrutural de comunidades superpovoadas. Entre seus principais assuntos estão o declínio da União Soviética e a Índia. Alguns de seus diversos livros publicados são India (1987), Homo Sovieticus (1989), God, Inc. (1992), East of Eden (1996), EVROPA (2000), ZONA (2003), Trinity (2007), Congo (Belge) (2010) e Moments Before the Flood (2012).

Foto: Carl de Keyzer.

Foto: Carl de Keyzer.

Um ensaio de grande impacto, e que possui várias imagens contempladas nesta postagem, é Zona (2003), que retrata de forma íntima a rotina das prisões siberianas. Ainda que elas já estejam distantes dos Gulags de outrora, possuem mais de um milhão de presos, o que inclui jovens servindo por três anos por roubarem dois ramsters e uma mãe de cinco filhos condenada a quatro por esconder couves na bolsa. Com dois coronéis ao seu lado, um à esquerda e outro à direita, De Keyzer fotografou o que foi autorizado a ver – e nada mais. Vale citar que ao invés das imagens em preto e branco comuns em seu portfólio documental, optou por cores esmaecidas, tendo como resultado imagens com uma atmosfera de sonho.

Foto: Carl de Keyzer.

Foto: Carl de Keyzer.

Com exibições regulares em galerias e museus europeus, é representado em diversas mostras permanentes, o que inclui o Museum of Contemporary Art de Ghent, a Fnac Collection de Paris e Centro de Arte de Salamanca. Entre seus diversos prêmios constam Les Rencontres d’Arles Book Award, Hasselblad Foundation International Award in Photography (1986), W. Eugene Smith Award (1990) e Prix de la Critique Kodak (1992). Atualmente, vive e leciona em Ghent.

Foto: Carl de Keyzer.

Foto: Carl de Keyzer.

Share your thoughts, post a comment.

(required)
(required)

Note: HTML is allowed. Your email address will never be published.

Subscribe to comments