Skip to content

16 de outubro de 2013

O diário íntimo de um emagrecimento, por Jen Davis

Ao observador que desconhece o contexto, a fotógrafa Jen Davis definitivamente não parece a própria modelo do ensaio presente neste post. Em autorretratos, há uma cumplicidade entre assunto e câmera que não é evidente no ensaio em questão: na maioria das fotos, Davis parece desconfortável, tímida – um reflexo de como se sentia consigo mesma. Com o título autoexplicativo de Self Portraits (2013), ele consiste não apenas em um retrato honesto da intimidade dos que sofrem com a obesidade, mas em um diário do emagrecimento da fotógrafa ao longo de uma década. E se nas primeiras fotos seu semblante é triste, ela se torna nitidamente mais à vontade nos retratos mais recentes, em que está mais magra.

Autorretrato de Jen Davis

Autorretrato de Jen Davis

Autorretrato de Jen Davis

Foi justamente o primeiro dos autorretratos, feito em 2002 e posteriormente intitulado de “Pressure Point”, que motivou o trabalho em questão – e o início de sua luta para perder peso. Surpreendida com a própria imagem, refletiu sobre o tipo de vida análogo a essa condição e decidiu começar a se fotografar, menos como uma motivação para emagrecer e mais para descobrir “seu lugar no mundo sendo uma pessoa com sobrepeso”, luta que enfrenta desde a infância.

Autorretrato de Jen Davis

Autorretrato de Jen Davis

Autorretrato de Jen Davis

Em 2011, com o projeto já em andamento, apavorou-se com a perspectiva de chegar aos 40 anos ainda obesa e se submeteu a uma cirurgia de redução do estômago, comprometida em alterar seu estilo de vida e engajar-se em dieta e exercícios. Tão logo começou a emagrecer, sentiu algo que definiu como “libertação”: “coisas como sentar em um banco, andar de avião, todas as preocupações desse tipo foram removidas”.

Autorretrato de Jen Davis

Autorretrato de Jen Davis

Autorretrato de Jen Davis

Hoje com 35 anos e baseada no Brooklyn, em Nova Iorque, Davis começou a se fotografar ainda como estudante na Universidade de Columbia, em Chicago, e continuou durante o mestrado em Belas Artes na Universidade de Yale. Além de servirem como estímulo, as imagens a ajudaram a lidar com suas emoções e inseguranças. Se na primeira ela está totalmente vestida em uma praia, rodeada de amigos em trajes de banho, nas últimas ela aparece posando, de lingerie, enrolada na cama e sentada sozinha em um sofá. O último namorado presente nas imagens, Aldo, é real, mas diversos dos romances que clicou ao longo do trabalho foram encenados com amigos. Tratava-se de uma tentativa de entender e retratar “como era se sentir desejada”.

Autorretrato de Jen Davis

Autorretrato de Jen Davis

Autorretrato de Jen Davis

Desde que o trabalho se tornou popular na internet, Davis conta que recebe um apoio inesperado da mídia e de pessoas que lutam contra a imagem que tem de si mesmas. Agora, confiante com o novo corpo, sente-se menos inclinada a sacar a câmera que a ajudou a emagrecer: “Eu não quero mais fotografar isso, eu quero viver isso”.

Comments are closed.