Skip to content

6 de março de 2015

Nina Leen: a moda no pós-Guerra dos Estados Unidos

 

 

Com sua câmera Rolleiflex, a fotógrafa russa Nina Leen contribuiu com a Life ao longo de mais de 30 anos, de 1940 até o fim da revista, em 1972. Conhecida como “uma das primeiras mulheres” a integrar o staff do periódico, Nina, no entanto, não fazia parte do time oficial da publicação. Ainda assim, teve a oportunidade de desenvolver uma vasta produção de imagens, desde fotos curiosas de animais até retratos de artistas como Jackson Pollock e Mark Rothko. Também concebeu uma série de editoriais de moda – trazemos alguns exemplos dessa faceta da fotógrafa no post de hoje.

 

 

Nascida entre 1909 e 1914 na Rússia (Nina não revelava a idade), a fotógrafa viveu na Itália, na Suíça e na Alemanha. Estudou pintura em Berlim e, em 1939, emigrou para os Estados Unidos, onde ganharia notoriedade.

 

 

Em 1940, vivendo há cerca de um ano na América, Nina publicou suas primeiras fotos na Life, que retratavam tartarugas do zoológico do Bronx, em Nova York. Assim começava sua trajetória como colaboradora da revista. Nos editoriais de moda que produziu, chamam atenção o cuidado com a composição e a sutileza no registro dos movimentos das modelos.

 

 

Nas décadas que se seguiram, a fotógrafa assinou mais de 50 capas da publicação. O envolvimento de Nina com a revista resultou no casamento com o fotógrafo de moda da Life Serge Balkin.

 

 

Entre os principais reconhecimentos do trabalho da fotógrafa está a inclusão de duas fotos na exposição itinerante The Family of Man, de Edward Steichen – projeto ambicioso, composto por centenas de imagens obtidas em diversos países, que buscava apresentar a experiência humana na Terra. Nina faleceu em 1995, em Nova York, deixando como legado um dos mais importantes olhares do período pós-Guerra nos Estados Unidos.

 

Comments are closed.