Skip to content

26 de janeiro de 2016

Marcela Paniak: apropriação e memória

 

 

Com trabalhos que focam em objetos e lançam mão de colagens e apropriações, a fotógrafa polonesa Marcela Paniak aborda a temática da memória na série Elysium. Ela coloca retratos de cartões de visita antigos em diálogo com a planta asphodelus – que na mitologia grega simboliza morte, tristeza, melancolia, e que seria parte da flora dos campos elísios, local onde as almas dos heróis descansariam pela eternidade.

 

 

 

 

“A fotografia tem o poder de preservar lugares e pessoas que nem conhecemos. Tem quase a capacidade de garantir a vida eterna”, reflete a fotógrafa. Na intenção de resgatar e construir novas memórias, Marcela vai em busca de objetos abandonados, os quais explora em um jogo formal com outros elementos.

 

 

 

 

“Há muitas coisas esquecidas ao nosso redor que por vezes se tornam inestimáveis, se pensarmos sobre o que elas guardam. Embora eu reconstrua essas imagens de forma contemporânea, em breve elas também se tornarão história – e por sua vez, podem ser lembradas por outras pessoas”, conta Marcela.

 

 

 

 

Nascida em 1991, Marcela Paniak vive em Lodz, na Polônia. É estudante de fotografia na Escola Nacional de Filme de Lodz.

Comments are closed.