Skip to content

2 de outubro de 2013

Julio Bittencourt, um fotógrafo na janela

Retrato de Julio Bittencourt.

Para Julio Bittencourt, despertar o interesse em questões que costumam ser ignoradas ou desconhecidas, colocando esses temas em discussão, é o grande papel da fotografia. E foi essa sua motivação ao desenvolver seu mais conhecido e premiado ensaio, Numa janela do edifício Prestes Maia 911, publicado em livro em 2011 e presente neste post. De acordo com o fotógrafo, o objetivo do trabalho foi “mostrar a importância da comunicação através das janelas, a dignidade das pessoas que sobrevivem por trás delas e a decadência de um sistema que não integra os seus habitantes em sociedade”.

Foto: Julio Bittencourt

Foto: Julio Bittencourt

Foto: Julio Bittencourt

Durante mais de 10 anos, o prédio de 22 andares localizado em São Paulo esteve abandonado. Em 2002, através de uma iniciativa do Movimento Sem-Teto do Centro, foi ocupado por 468 famílias que revitalizaram o edifício e criaram um sistema próprio de organização, tornando o local, além de residência, sede de inúmeros eventos culturais.

Foto: Julio Bittencourt

Foto: Julio Bittencourt

Foto: Julio Bittencourt

Antes de fotografá-los, Bittencourt aproximou-se dos moradores, ouvindo suas histórias e permitindo que eles o conhecessem sem a câmera nas mãos. Ao longo de dois anos, visitou o prédio todos os finais de semana. Estudou a luz, testando cliques em diferentes horários, e utilizou uma lente 50mm por ser a que considera mais próxima do olho humano. Não foram as pessoas que escolheu que foram retratadas, mas as que se deixaram fotografar.

Foto: Julio Bittencourt

Foto: Julio Bittencourt

Foto: Julio Bittencourt

Julio conta que sempre foi fascinado por janelas: cresceu em um edifício de São Paulo com 28 andares e dois blocos, somando mais ou menos 300 vidraças que serviam de comunicação entre os vizinhos. Nascido nos anos 1980, Julio deixou o Brasil para viver em Nova Iorque por seis anos, mas retornou em 2000 para trabalhar no jornal paulista Valor Econômico como fotógrafo e editor assistente. Em 2006, iniciou sua atuação independente. Um de seus trabalhos como autônomo é justamente Numa janela do edifício Prestes Maia 911, que ganhou inúmeras distinções, como Premio Porto Seguro de Fotografia (2010), Leica Oskar Barnack Award (2007) Aperture Portfolio Prize (2007) e Prêmio Fundação Conrado Wessel (2006).

Foto: Julio Bittencourt

Foto: Julio Bittencourt

Foto: Julio Bittencourt

Julio permanece fotografando prédios, casas e diferentes tipos de edificações abandonadas.

Comments are closed.