Skip to content

22 de janeiro de 2016

Inés Dümig: paisagens interiores em refúgio

 

 

De tudo que diz respeito à experiência de vida de um refugiado, pode-se dizer que isolamento, fragilidade e desamparo são os aspectos que mais se revelam nas fotografias da alemã Inés Dümig. No ensaio Apart Together – jogo de palavras que sugere a proximidade de certas distâncias –, a fotógrafa retrata Sahra, refugiada que fugiu da Somália aos 14 anos indo parar em Munique, na Alemanha, após dois anos de caminhos tortuosos em direção à Europa.

 

 

 

 

“A dignidade humana é inestimável? O mundo a nosso redor parece sugerir o contrário. Com esse projeto, busquei recuperar parte daquele dignidade perdida, momentos íntimos em que nos sentimos seguros o suficiente para mostrar um pouco do que somos”, conta a fotógrafa. Como estratégia poética, Inés se afasta de uma abordagem mais documental, privilegiando imagens do entorno que de alguma forma refletem o momento existencial de Sahra. Nas palavras da fotógrafa, “paisagens interiores”.

 

 

 

 

Em contraponto também às imagens que se reproduzem na mídia, Inés propõe um olhar que possa estabelecer outra relação com a situação vivida pelos refugiados – e por Sahra, em particular. “As matérias que vemos na mídia relacionadas à migração são fugazes. Com a fotografia, pretendo que o espectador pare por um momento. É um teste do nosso aqui e agora. Minha intenção é de nos colocarmos em contato com a distância absoluta, a busca de uma presença”, explica Inés.

 

 

 

 

Nascida em Nuremberg, Alemanha, em 1982, Inés Dümig tem mestrado em fotojornalismo e fotografia documental pela London College of Communication. Já participou de festivais e exposições coletivas em instituições como a National Portrait Gallery, de Londres, e a galeria Camerawork, de São Francisco, EUA. Vive e trabalha na Alemanha.

 

 

 

Comments are closed.