Skip to content

18 de março de 2013

“Fotografia é a única língua que pode ser entendida em qualquer lugar do mundo” Bruno Barbey

 

Nascido no Marrocos em 1941, Bruno Barbey é um fotógrafo prolífico, conhecido por se expressar através de seus livros, projetos autorais, documentais e jornalísticos. Radicado na França, passou a integrar a equipe de fotógrafos da Magnum em 1964, tornando-se um membro pleno em 1968. Sua carreira já soma mais de quatro décadas repletas de viagens pelos cinco continentes, o que inclui inúmeras zonas de conflitos. Ainda que não se considere um fotógrafo de guerra, cobriu tumultos militares e civis na Nigéria, Vietnã, Oriente Médio, Bangladesh, Camboja, Irlanda, Iraque e Kuait. As imagens neste post, entretanto, são exemplos de seu esforço em capturar características culturais de países como Índia, China, Filipinas, Nigéria e Marrocos, país de sua infância e tema de boa parte de seu portfólio.

 

 

 

Publicado nas principais revistas do mundo, Barbey é conhecido especialmente por seu livre e harmonioso uso de cores, ainda que tenha trabalhado com imagens P&B no início de sua carreira. De 1959 a 1960, estudou fotografia e artes gráficas na Ecole des Arts et Métiers em Vevey, na Suíça. Seu primeiro ensaio de destaque, Naples’, Switzerland (1964), retratou italianos como protagonistas de um “mundo pequeno e teatral” – tudo com o declarado objetivo de capturar fotograficamente o espírito de uma nação.

 

 

 

Durante os anos 1960, foi comissionado pela Editions Recontre para documentar situações de conflito em países europeus e africanos, além de contribuir regularmente com a revista Vogue. A relação com a Magnum iniciou em 1964. No ano em que se tornou um membro pleno, 1968, documentara a agitação política e as manifestações de estudantes franceses em Paris.

 

 

 

Outra de suas mais aclamadas obras é Poland (1981), fruto de dois anos vivendo na Polônia com o objetivo de registrar um momento de virada na história do país. Barbey já recebeu diversos prêmios por seu trabalho, incluindo o Oversees Press Club Award, o University of Missouri Photojournalism Award e a Ordem Nacional de Mérito francesa. Em 1999, o Petit Palais (Musée des Beaux Arts) da cidade de Paris produziu uma grande exposição de suas fotografias feitas no Marrocos ao longo de 30 anos.

 

 

Comments are closed.