Skip to content

15 de fevereiro de 2012

Edward Steichen, fotógrafo e amante das artes

Edward Steichen Portrait.

Edward Steichen (nascido Edouard, em Luxemburgo), é uma das mais importantes personalidades da história da fotografia. Em uma carreira marcada por inovações técnicas, ele trabalhou como artista, curador, escritor e fotógrafo — destacando-se, principalmente, no campo da moda e dos retratos.

Greta Garbo, 1928. Foto: Eduard Steichen.

Noel Coward, 1932. Foto: Edward Steichen.

Nascido em 1879, imigrou com a família para os Estados Unidos ainda bebê. Aos 15 anos, começou a estudar litografia na American Fine Art Company of Milwaukee. Depois de muitos esboços e desenhos, dedicou-se à pintura. Visitava frequentemente uma loja de artigos fotográficos até que decidiu comprar sua primeira câmera, uma Kodak de segunda mão. Pouco depois, Steichen fundou, com amigos e colegas (também interessados por arte, em especial a junção de desenho com fotografia), a Milwaukee Art Students League, sediada em um pequeno quarto alugado.

Solitude, F. Holland Day, 1901. Foto: Edward Steichen.

The Flatiron, Evening, 1904. Foto: Edward Steichen.

Por sua íntima relação com a arte, foi chamado de pictorialista no início de sua carreira, com trabalhos que utilizavam técnicas como o uso de tripés em movimento, lentes banhadas em glicerina e outros truques para produzir efeitos. Durante esse período, Steichen ainda pintava. Sua relação com a atividade foi rompida definitivamente quando ele queimou todas as suas telas, em 1922. Gradualmente — e influenciado por outros movimentos artísticos abstratos, como o Cubismo —, Steichen passou a priorizar imagens mais limpas, com composições meticulosas marcadas por um forte senso estético.

Plane takes off from an American aircraft carrier, World War II. Foto: Edward Steichen.

Homeless Women, The Depression, New York, 1932. Foto: Edward Steichen.

Autodidata e apaixonado por fotografia, Steichen lutava para defendê-la como uma legítima forma de arte. Criou, em parceria com Alfred Stieglitz, uma revolução estética na qual ela deveria ser considerada um meio de expressão e interpretação, não uma ferramenta de registro documental. Para isso, elaboraram a pioneira revista Camera Wok e fundaram a famosa Little Galleris of the Photo Secession (atual 291 Gallery), localizada na Quinta Avenida, em Nova Iorque. Ainda que focada em fotografia, a galeria sediou exposições de Henri Matisse, Auguste Rodin, Paul Cézanne, Pablo Picasso, entre outros.

Gloria Swanson, 1924. Foto: Edward Steichen.

Miss Fanny Haven Wickes, Newport, Rhode Island, 1924. Foto: Edward Steichen.

Em 1911, suas fotos publicadas na Art et Décoration de vestidos desenhados pelo estilista Paul Poiret foram consideradas as primeiras fotografias modernas de moda. Após servir no exército americano durante a Primeira Guerra Mundial, tornou-se fotógrafo nas revistas Vogue e Vanity Fair, além de começar trabalhar com fotografia publicitária. Trabalhou com moda até 1938, tempos em que foi considerado o mais famoso e bem pago fotógrafo de moda do mundo.

Marlene Dietrich, 1932. Foto: Edward Steichen.

Conde Nast photograph, 1928. Foto: Edward Steichen.

Steichen também dirigiu o Departamento de Fotografia do Museu de Arte Moderna de Nova Iorque. No MoMA, foi curador da exposição The Family of Man, que viajou por 69 países, foi vista por 9 milhões de pessoas e vendeu meio milhão de livros.  Seu objetivo era mostrar o amor, a vida e a morte de forma universal. Para isso, contou com mais de 500 fotos.

Charlie Chaplin, New York, 1925. Foto: Edward Steichen.

Brancusi in his Studio, Paris, 1927. Foto: Edward Steichen.

Steichen faleceu em 1973, aos 94 anos de idade, no dia 25 de março (dois dias antes de seu aniversário).

Share your thoughts, post a comment.

(required)
(required)

Note: HTML is allowed. Your email address will never be published.

Subscribe to comments