Skip to content

10 de dezembro de 2014

Autorretratos de Polly Penrose

Retrato de Polly Penrose.

“Para mim, a beleza do que faço está no elemento do acaso. A locação, geralmente desconhecida, acrescenta algo às imagens.” O comentário de Polly Penrose oferece uma abordagem interessante para observamos os autorretratos que apresentamos no post de hoje. Ao contrário de outras fotografias suas em que objetos são cuidadosamente selecionados e o corpo da fotógrafa se revela quase como uma escultura, aqui a vemos inserida em ambientes mais caóticos.

Foto: Polly Penrose

Foto: Polly Penrose

“As locações são encontradas por meio de contatos pessoais. São casas que aguardam reforma, escritórios, apartamentos abandonados, jardins… Sempre carrego minha câmera caso surja alguma oportunidade de fotografar”, conta Polly em entrevista ao site Hunger TV.

Foto: Polly Penrose

Foto: Polly Penrose

A fotógrafa busca comunicar “atmosferas emocionais” em suas fotografias. “Cada imagem é uma resposta espontânea na qual emoções circunstanciais são capturadas em estado bruto”, diz.

Foto: Polly Penrose

Foto: Polly Penrose

Reflexos, transparências e enquadramentos dentro do plano da imagem aparecem com frequência, adicionando novas camadas às imagens. Outra característica é o modo como o corpo da fotógrafa se mimetiza com o entorno, em espaços tanto interiores como exteriores – aspecto que, somado à ocultação do rosto, valoriza ainda mais a composição dos enquadramentos.

Foto: Polly Penrose

Foto: Polly Penrose

Comments are closed.