Skip to content

14 de abril de 2015

As paisagens improváveis de Bruno Cals

 

 

A série Horizontes, de Bruno Cals, joga com imagens de grandes centros urbanos como São Paulo e Tóquio, levando-as a um ponto de abstração e surrealismo. A partir de perspectivas não usuais, prédios se transformam em paisagens que beiram a ficção científica.

 

 

 

Como informa o nome da série, as linhas de horizonte são protagonistas das imagens. Revelam o limite de espaços improváveis construídos no plano da fotografia. A amplitude dessas paisagens ficcionais chama a atenção, remetendo à visão de um deserto.

 

 

 

O ponto de vista adotado pelo fotógrafo faz com que as fachadas fotografadas ganhem novas aparências. Por vezes, o que é sintético parece se metamorfosear em elementos encontrados na natureza e aquilo que é ordinário parece vindo de outro planeta.

 

 

 

“Eu amo arquitetura. Meu pai era arquiteto, e quando eu era criança, costumava acompanhá-lo no trabalho. Se não fosse fotógrafo, adoraria ser arquiteto. Esta é a primeira vez em que trabalho em uma série de imagens arquitetônicas, e tem sido muito gratificante”, conta o fotógrafo ao site Archinect.

 

 

 

Nascido em 1967, no Rio de Janeiro, Bruno Cals mudou-se para Paris aos 19 anos, iniciando carreira como fotógrafo de moda. Retornou ao Brasil aos 26 e seguiu dedicando-se à fotografia. Já trabalhou para publicações como Vogue e Elle, tendo recebido diversos prêmios por sua atuação na publicidade.

 

 

 

Comments are closed.