Skip to content

29 de março de 2016

Adam Panczuk: Karczebs, arraigados ao solo

 

 

Em 2005, um ano após o ingresso da Polônia na União Europeia, o fotógrafo Adam Panczuk decidiu viajar pelas regiões rurais do país para retratar um contexto prestes a se transformar a partir da recente integração no bloco econômico. Nesse percurso, Panczuk passou a dedicar atenção especial aos personagens dessas localidades e à sua relação com terra. A série Karczeby resulta desse processo de descoberta.

 

 

 

 

O nome do ensaio deriva de uma expressão dialetal do leste da Polônia: são chamadas de “Karczebs” as pessoas intensamente arraigadas ao solo onde vivem – e onde suas famílias residem há gerações. A mesma palavra é usada para nomear a parte que resta de uma árvore depois de ser cortada – o pedaço de tronco com raízes que não se desliga da terra. Tal imagem também serve de metáfora, lembra o fotógrafo, para a resistência dos habitantes a tentativas de remoção, especialmente nos tempos do stalinismo.

 

 

 

 

Panczuk coloca em cena o apego à terra por meio de retratos. Chama atenção como na maioria das imagens os fotografados se aferram a objetos – ou mesmo animais – e como tudo parece estar de fato intimamente conectado com o solo. Com essa abordagem, mais do que documentar uma determinada região, Panczuk torna universais seus personagens e o vínculo a seu lugar de origem.

 

 

 

 

Nascido em 1978, Adam Panczuk vive em Varsóvia. Estudou fotografia no departamento de comunicação da Universidade de Poznan. Em seus trabalhos, explora questões relacionadas à identidade de quem encontra nas suas viagens. Já recebeu prêmios como o Magnum Expression Award e teve imagens publicadas em periódicos como National Geographic e Le Monde. Também realizou exposições individuais em diversos países da Europa e nos Estados Unidos.

Comments are closed.