Skip to content

8 de fevereiro de 2013

A humanidade de um mito: Marilyn Monroe, por Eve Arnold

Retrato de Eve Arnold.

Não são poucos os que tentaram capturar em filmes fotográficos um pouco da magia, do sex appeal e do místico encantamento de Marilyn Monroe. Aliás, foram justamente as imagens, bem como as películas do cinema, que ajudaram a construir o mito: impecável, sobrehumano, maquiado, esculpido em trajes bem cortados, em poses e trejeitos cuidadosamente calculados, iluminado e enquadrado com perfeição. Se digitarmos Marilyn Monroe no mecanismo de busca do blog, encontraremos bons exemplos até mesmo por aqui, retratos da musa assinados por nomes como Cecil Beaton, Ernst Haas, Alfred Eisenstaedt e Phillipe Halsman. Não são esses, entretanto, os que caracterizam as imagens de Marilyn assinadas por Eve Arnold (1912 – 2012), mas momentos menos conhecidos, em que a presença da câmera não parece abalá-la ou distraí-la. Em algumas delas, Marilyn não se preocupava com o figurino e deixava até mesmo escapar certa melancolia no olhar. E é essa doçura, repleta de cumplicidade entre modelo e fotógrafa, que torna os registros que ilustram este post um documento tão especial.

Foto: Eve Arnold.

Foto: Eve Arnold.

Não por acaso, sob um nome aceito para ambos os gêneros, e em um meio onde os homens até hoje são maioria, encontra-se uma fotógrafa mulher. É possível que visse Marilyn como vítima de uma sociedade calcada nos desejos do macho, ansiosa por construir, extrair e vender sua glamorosa imagem à exaustão. É possível, também, que Marilyn, na companhia da fotógrafa, relaxasse, abandonando a personagem, seus quase automáticos reflexos de sedução e sensualidade. Não por acaso, também, Arnold era uma fotógrafa que tinha na preocupação com seus personagens uma característica fundamental, como mostra uma de suas mais famosas citações: “Se o fotógrafo se preocupa com a pessoa atrás das lentes e tem compaixão, muito é dado. É o fotógrafo, não a câmera, que é o instrumento”.

Foto: Eve Arnold.

Foto: Eve Arnold.

Se o senso comum não cansava em dizer que Marlyn Monroe fazia amor com a câmera, o que transparece nas imagens feitas por Eve é tranquilidade e relaxamento, fruto de uma nítida e mútua colaboração. Com seu dom extraordinário de transmitir emoções, Marilyn utilizou esse espelho para mostrar sua outra face, traduzida em retratos delicados de uma deslumbrante mulher-criança. Felina, mas inocente; ansiosa, mas confiante. Doce, apaixonada e engraçada.

Marilyn Monroe e Clark Gable durante as filmagens de "The Misfits", 1960. Foto: Eve Arnold.

Foto: Eve Arnold.

Nascida na Filadélfia, filha de imigrantes russos, Arnold começou a clicar em 1946, trabalhando na área, e em 1948 estudou fotografia com Alexei Brodowitch na New School for Social Research, em Nova Iorque. Associou-se à Magnum em 1951, tornando-se membro plena em 1957. Em 1962, viajou à Inglaterra, onde se estabeleceu. Com 12 livros publicados, foi honrada com inúmeras distinções. Em 1995, passou a integrar a Royal Photographic Society e foi eleita Master Photographer pelo New York Center of Photography, a mais prestigiosa honraria fotográfica. Faleceu em 2012 às vésperas de completar 100 anos.

Foto: Eve Arnold.

Foto: Eve Arnold.

Share your thoughts, post a comment.

(required)
(required)

Note: HTML is allowed. Your email address will never be published.

Subscribe to comments