Skip to content

9 de agosto de 2016

David Shannon-Lier: o cósmico e o terrestre

Na série Of Heaven and Earth [Do céu e da Terra], David Shannon-Lier estabelece relações entre corpos celestes e marcas feitas pelo fotógrafo no solo. O resultado é uma interação das luzes do sol e da lua com a paisagem alterada pela ação do homem. O posicionamento da câmera é feito de forma meticulosa, de modo que o movimento seja registrado perfeitamente no plano fotográfico a partir de uma longuíssima exposição.

 

“Eu abordo meu lugar na escala humana e cósmica”, conta Shannon-Lier. “Assim, o cósmico encontra-se com o humano, a imensidão com o íntimo e uma das forças mais constantes do nosso mundo – o movimento dos corpos celestes –interage com uma linha de pedras ou desenhada no gramado: uma marca que é pequena e totalmente efêmera em termos de forma e sentido”, explica.

 

São tempos distintos que entram em diálogo, conforme a reflexão do fotógrafo: a constância do sol e da Lua e a mortalidade do homem que cria as condições para que a imagem se constitua. Ou seja: os corpos celestes seguem seu movimento por tempo indeterminado, numa escala totalmente distinta daquela que rege o tempo da vida humana. Ambas as escalas, no entanto, encontram-se no plano da fotografia.

 

O norte-americano David Shannon-Lier é graduado pela faculdade do Museum of Fine Arts de Boston e pela Arizona State University. Realizou diversas exposições individuais e coletivas pelos Estados Unidos. Seus trabalhos, em geral desenvolvidos em preto e branco, abordam principalmente a fotografia de paisagens.

 

Comments are closed.