Skip to content

4 de julho de 2011

Vídeo mostra momento em que foi tirada a fotografia símbolo da Guerra do Vietnã

Kim Phuc, menina com 9 anos de idade fugindo de sua vila à procura de abrigo. Sul do Vietnam, 1972 Foto: Huynh Cong Ut / AP Photo

Phan Thi Kim Phúc é um símbolo da guerra. Sua imagem correndo dos bombardeios da Guerra do Vietnã, nua, ardendo das queimaduras por Napalm, foi tirada no dia 8 de junho de 1972 no vilarejo de Trang Band e aumentou o índice de rejeição mundial à barbaire daquele conflito. A cena foi imortalizada pelo fotógrafo vietnamita Huynh Cong Ut, conhecido como Nick Ut, que logo depois de registrar seu desespero, levou-a a um hospital. Após 14 meses de tratamento, ao contrário do que todos pensavam devido à gravidade de seus ferimentos, ela sobreviveu. O fotógrafo, que trabalha para a agência de notícias Associated Press (AP) até hoje, ganhou um prêmio Pulitzer. Décadas após a comoção causada por sua divulgação, a fotografia permanece entre as mais importantes da história. A recente descoberta de um vídeo gravado no momento em que ela foi tirada resgata, também com força atemporal, o terror vivido pela população vietnamita:

Nick Ut recordou, em entrevista à BBC, o momento em que a foto foi realizada: “Eu comecei a ver muita fumaça e gente correndo. Eu vi uma mulher pedindo ajuda com um bebê morto em seus braços. Entre a fumaça preta, vi Kim Phúc, correndo e gritando “nam nam ua ua” (muito quente), e tirei muitas fotografias”, recorda. Depois disso, deixou sua câmera de lado e concentrou-se apenas em impedir a morte da menina. Deu a ela um pouco de água, cobriu-a com um cobertor e seguiu rumo ao hospital em seu carro.
Quando chegou em seu escritório, deu início à revelação do material. Quando apareceu, nítida, a imagem de Kim Phúc,sentiu que ali estava uma grande foto. Na época, imagens com nudez frontal não eram permitidas, mas a reação do editor da AP em Nova Iorque, Hal Buell, foi um prenúncio de como ela repercutiria: “Envie essa fotografia imediatamente, eu não me importo com nada que possam dizer”. Nick sabe do impacto que seu registro teve. Mora em Nova Iorque, mas volta ao Vietnã anualmente onde, de acordo com o próprio, sempre escuta do povo: “Sua fotografia mudou a guerra”.

Retrado de Huynh Cong. Foto: Tim Mantoain

Já a garota da foto, Kim Phúc, vive em Toronto, no Canadá. Na época, foi forçada a abandonar a escola e retornar para sua província, onde viveu sob supervisão diária por ser um “símbolo nacional da guerra”. Hoje, além de ser embaixadora da Unesco, preside a “Fundação Kim Phúc”, dedicada a ajudar crianças vítimas de guerra em todo o mundo. São dela as seguintes palavras: “Qualquer um que vê essa foto pode sentir a profundidade do desespero, do sofrimento humano da guerra, especialmente para crianças. Quando vejo aquela imagem de novo e de novo, eu agradeço a Deus que o tio Nick congelou esse momento da história com sua fotografia, permitindo que as gerações futuras vejam o que pode ser o horror da guerra”.

Retratada Phan Thi Kim Phúc e fotógrafo Huynh Cong Ut.

Share your thoughts, post a comment.

(required)
(required)

Note: HTML is allowed. Your email address will never be published.

Subscribe to comments