Skip to content

18 de outubro de 2016

As tribos fashion de Daniele Tamagni

 

 

O que une metaleiros de Botsuana, beldades gordas e magras de Dakar e punks de Mianmar? Esta parece ser a busca do fotógrafo italiano Daniele Tamagni no ensaio Fashion Tribes [Tribos fashion], que reúne fotografias de séries suas concebidas em diversos países. Tamagni retrata estilos de vida dissonantes dos padrões hegemônicos e suas expressões através da moda.

 

 

 

 

Há muito o que se explorar em cada contexto onde Tamagni se insere. O fotógrafo relata, por exemplo, a respeito dos punks de Burma (Mianmar), a relação – e a ruptura – dessa tribo em relação aos monges budistas das principais cidades do país. Ele também apresenta dois tipos de mulheres do Senegal, chamadas de Disquette e Drianke – vaidosas em igual medida, porém, estas defendendo a exuberância de corpos volumosos, enquanto aquelas apostam numa apropriação dos padrões skinny das modelos internacionais.

 

 

 

 

Independentemente das particularidades de cada grupo, há uma convergência em relação à postura de resistência dos personagens, de enfrentamento dos padrões de cada sociedade e de criatividade na apropriação e subversão de signos do mundo ocidental. Ao mesmo tempo, torna-se possível observar semelhanças – formais e políticas – entre as manifestações. É esse jogo identitário próprio da globalização que Tamagni revela em suas imagens.

 

 

 

 

Nascido em 1975, em Milão, na Itália, Daniele Tamagni é formado em História da Arte e alterna sua dedicação entre projetos pessoais e ensaios de moda. Tem como principal interesse retratar comunidades da África – ou de origem africana em outros países –, entre outros grupos étnicos, buscando suas formas de expressão por meio da moda. Já ganhou diversos prêmios, entre os quais um World Press Photo na categoria Artes e Entretenimento por uma série que mostra mulheres bolivianas que praticam luta livre.

 

 

Comments are closed.