Skip to content

10 de janeiro de 2017

A sopa de resíduos plásticos de Mandy Barker

 

 

A “sopa” a que se refere a série Hong Kong Soup: 1826, da fotógrafa britânica Mandy Barker, diz respeito a uma expressão em chinês para uma realidade catastrófica: a imensa quantidade de resíduos plásticos à deriva nos mares. Essa é a matéria-prima de seu trabalho, que retrata materiais coletados em mais de 30 praias de Hong Kong desde 2012.

 

 

 

 

As imagens remetem ao cotidiano e também a tradições, eventos, à natureza e à cultura de Hong Kong a partir dos objetos e fragmentos coletados: brinquedos, seringas, restos oriundos de festas populares, entre outros, organizados cuidadosamente em cada fotografia. Nesse sentido, algumas camadas de significado são melhor interpretadas por quem domina os códigos e os circuitos referentes a cada conjunto de objetos.

 

 

 

 

Na visão da fotógrafa, a série apresenta “uma contradição entre a atração estética inicial e a tomada de consciência de responsabilidade social”. De fato, à primeira vista as fotos beiram a abstração, por vezes fazendo lembrar constelações espaciais. Aos poucos, no entanto, vamos nos dando conta do trabalho meticuloso da fotógrafa em sua reflexão sobre nossas lógicas de consumo e sobre nosso futuro enquanto espécie.

 

 

 

 

Nascida no Reino Unido, Mandy Barker fez mestrado em fotografia na De Montfort University, na Inglaterra. A série que apresentamos no post de hoje foi publicada em mais de 25 países, em periódicos como as revistas TIME e National Geographic, rendendo à fotógrafa inúmeros convites para eventos e exposições relacionados a questões do clima.

 

 

Comments are closed.