Skip to content

9 de julho de 2012

Yuri Kozyrev na estrada da revolução

Retrato de Yuri Kozyrev

Fotojornalista há 20 anos, Yuri Kozyrev é famoso por registrar os dois lados de conflitos importantes do mundo todo. Nascido em Moscou, começou na fotografia de guerra cobrindo alguns dos principais embates da antiga União Soviética, incluindo as duas guerras da Chechênia. Imediatamente após os antentados de 11 de Setembro nos Estados Unidos, embarcou para o Afeganistão para documentar a queda do regime talibã. Mas foi por outra ampla série de reportagens que seu trabalho foi aclamado recentemente: a ampla documentação dos conflitos que marcaram o ano de 2011.

Foto: Yuri Kozyrev, 2011.

Foto: Yuri Kozyrev, 2012.

No ano passado, Kozyrev viajou por sete países (Egito, Bahrein, Líbia, Lêmen, Rússia, Grécia e Tunísia) para cobrir as revoltas e protestos que caracterizaram o período. Para a Revista Time, documentou a queda de ditadores da Primavera Árabe e suas consequências — um de seus ensaios, feito na Líbia após o término da revolução, tinha como objetivo justamente mostrar como a queda de um ditador é apenas o primeiro passo para se chegar à liberdade. O conjunto desse trabalho foi celebrado como um dos mais abrangentes e coerentes com os nove meses de conflitos, sendo que uma dessas imagens ganhou o primeiro lugar na categoria Spot News do World Press Photo 2012.

On the revolution road, 2011. Foto: Yuri Kozyrev

Foto: Yuri Kozyrev, 2011.

Registrada em 11 de março de 2011, essa foto mostra os rebeldes batalhando por Ras Lanuf, uma área de refinamento de petróleo localizada na costa da Líbia que oscilou entre o domínio de Muammar Gaddafi e das tropas contrárias ao seu governo.

Foto: Yuri Kozyrev, 2008.

Foto: Yuri Kozyrev, 2011.

O nome dessa imagem, “On Revolution Road”, deu origem ao título do livro e da exposição sobre toda a jornada: The Arab Spring – On Revolution Road (2011) (algo como “A Primavera Árabe – Na estrada da revolução”, ou “Revolução a caminho”), com curadoria de Deanna Richardson e Francesco Zizola. A obra reúne 66 imagens tiradas entre fevereiro e março do ano passado que mostram a determinação do fotógrafo em registrar a redefinição da alma de cada país. Grande parte delas se concentra nas características mais emblemáticas desses confrontos: a juventude dos revolucionários, o seu uso inteligente da tecnologia e a ocasional abdicação da violência usada como uma ferramenta política. Elas também evidenciam muitos dos contrastes encontrados por Kozyrev no percurso, em especial as diferentes estratégias usadas na luta contra tiranias semelhantes. Por essa obra, Kozyrev venceu o Visa d’or News Awards.

Foto: Yuri Kozyrev, 2011.

Share your thoughts, post a comment.

(required)
(required)

Note: HTML is allowed. Your email address will never be published.

Subscribe to comments