Skip to content

5 de junho de 2012

Crônicas de um fotojornalista americano

Alec Soth Portrait.

Navegando livremente entre a fotografia editorial e o trabalho autoral, Alec Soth consolidou-se como um dos mais importantes artistas americanos contemporâneos. Faz parte do legendário grupo Magnum Photos e já exibiu seu trabalho em galerias e museus dos Estados Unidos e da Europa.

2006. Série Broken Manual. Foto: Alec Soth.

The Arkansas Cajuns backup bunke. Série Broken Manual. Foto: Alec Soth.

1999. Série Broken Manual. Foto: Alec Soth.

2008. Série Broken Manual. Foto: Alec Soth.

Nascido em Mineápolis e educado em Nova Iorque, Soth atraiu a atenção da critica pela primeira vez com a série Sleeping by the Mississippi (2004). Sua inspiração foi o trabalho da fotógrafa Diane Arbus, que em toda sua obra se dedicou à outra face do American Dream. Para clicar os retratos e paisagens que o livro contempla, Soth viajou durante meses pelos estados em que se encontra o maior rio da América do Norte. Algumas imagens foram parar na Bienal Whitney de 2004 e uma delas, “Charles”, foi usada no poster da mostra. Nesse trabalho, tornou-se evidente aquela que seria uma de suas principais características: a tentativa de encontrar uma maneira subjetiva de contar histórias. Em seus livros, cada uma de suas imagens conduz a próxima, formando uma narrativa.

Série Sleeping by the Mississipi. Foto: Alec Soth.

Jimmies Apartment, 2002. Série Sleeping by the Mississipi. Foto: Alec Soth.

Lenny, 2002. Série Sleeping by the Mississipi. Foto: Alec Soth.

Herman's Bad, 2002. Série Sleeping by the Mississipi. Foto: Alec Soth.

Seu diferencial também consiste no fato de que utiliza uma câmera de grande formato 8 x 10, que exige mais tempo para a captação das imagens — muitos atribuem a isso a intensa relação que o artista estabelece com seus objetos. Para Soth, é nessa troca que se encontra o cerne de seu trabalho: sua fotografia está diretamente ligada à forma como cada assunto lhe toca. O artista também conta que quando fotografa pessoas costuma ficar nervoso, deixando os modelos mais confortáveis com sua falta de tato.

Entre suas publicações mais conhecidas está Niagara (2006), uma referência as cascatas que separam o Canada dos Estados Unidos. Diferente de seus primeiros trabalhos, a obra explora o amor e os relacionamentos em um lugar que o fotógrafo considera cheio de paixão. A parte técnica foi feita de forma híbrida: os negativos em grande formato foram digitalizados e posteriormente impressos.

Série Niagra. Foto: Alec Soth.

Best Western, 2005. Série Niagra. Foto: Alec Soth.

Nicholas, 2005. Série Niagra. Foto: Alec Soth.

Melissa, 2005. Série Niagra. Foto: Alec Soth.

Vale lembrar que sua obra autoral é pautada pelo povo, as paisagens e a cultura americana: o território estado-unidense é sempre direta ou indiretamente protagonista. Em Las Days of W. (2008), 36 fotografias representam a exaustidão americana nos últimos anos do governo de George W. Bush. Em sua crônica imagética, militares, civis e objetos inanimados passam uma sensação de completo esgotamento.

Além do trabalho autoral artístico, Soth fotografa para publicações como a The New York Times Magazine, Fortune e Newsweek.

Priscila. Série The Last Days of W. Foto: Alec Soth.

Série The Last Days of W. Foto: Alec Soth.

Série The Last Days of W. Foto: Alec Soth.

Akele. Série The Last Days of W. Foto: Alec Soth.

Share your thoughts, post a comment.

(required)
(required)

Note: HTML is allowed. Your email address will never be published.

Subscribe to comments