Skip to content

28 de outubro de 2016

O mundo escondido da Primeira Guerra Mundial, por Jeff Gusky

 

 

Há exatos cem anos, a humanidade defrontava-se com um conflito mundial sem precedentes, que resultou na morte de mais de 16 milhões de pessoas – dos quais 7 milhões eram civis. O impacto da brutalidade e dos traumas da I Guerra Mundial, até então inéditos em magnitude, dificilmente podem ser compreendidos nos dias de hoje. Uma parcela dessa memória é resgatada pelo fotógrafo norte-americano Jeff Gusky, que explora esconderijos subterrâneos franceses na série The Hidden World of WWI [O mundo escondido da Primeira Guerra Mundial].

 

 

 

 

“As conquistas espetaculares do progresso fizeram com que as pessoas perdessem contato com a fragilidade da civilização – e com seus instintos de autoproteção. Levou menos de 30 anos [no início do século 20] para que as novas democracias, intoxicadas pelo progresso, marchassem de forma entusiasmada em direção a um moedor de carne – a primeira destruição em massa moderna”, explica o fotógrafo.

 

 

 

 

A pesquisa de Gusky começou com a exploração de ruínas e espaços de memória da I Guerra que estavam sobre o solo. Pouco a pouco, a cada nova entrevista, o fotógrafo foi descobrindo novos locais que guardavam resquícios da história do conflito, entre eles, cidades subterrâneas – em sua maioria, localizadas em propriedades privadas, sem acesso permitido a turistas. Um mundo repleto de inscrições feitas por soldados: nomes, figuras religiosas, insígnias e escritos diversos, nas línguas mais variadas – talhados ou pintados nas pedras.

 

 

 

 

Gusky ressalta a curiosa proximidade de quem viveu aquela época com nossos contemporâneos. “Eles amavam baseball, viviam em prédios altos, dirigiam carros e assistiam a filmes”, comenta o fotógrafo. “Eles foram as primeiras testemunhas do lado obscuro do progresso moderno, da primeira destruição massiva moderna, na qual as tecnologias que fazem a vida moderna possível foram usadas para destruir a vida numa que escala que era – e ainda é – inconcebível”, conclui.

 

 

 

 

Nascido em Dallas, Texas (EUA), Jeff Gusky é formado em medicina e divide sua atuação entre a fotografia e atendimentos de rurais emergência. Seu trabalho é dedicado a apresentar fragmentos do passado que nos revelem as fragilidades da vida moderna. Seu terceiro projeto de maior porte, The Hidden World of WWI foi amplamente noticiado pela mídia devido ao ineditismo de suas imagens.

 

Comments are closed.