Skip to content

Posts from the ‘Fotomontagem’ Category

16
nov

O ato fotográfico para além da fotografia – Feco Hamburger

Retrato de Fico Hamburger

 

Fotógrafo, artista e professor, Fernando Império Hamburger, conhecido como Feco Hamburger, nasceu em 1970 em São Paulo, onde vive até hoje. Estudou Física na Unicamp e Linguística na USP, mas se aproximou da fotografia se especializando em fine-art printing. Em suas obras, explora a percepção do tempo na trama entre uma relação visível com a natureza e o contraditório.

Feco é irmão do cineasta, roteirista e produtor Cao Hamburger, que dirigiu, dentre outras obras, o programa infantil Castelo Rá-tim-bum de 1994 até 1997 e o filme Xingu em 2011.

De 1991 a 1994, trabalhou como assistente de Bob Wolfenson, referência nacional como retratista, fotógrafo de nus e de moda. Em 1996, quando abriu seu próprio estúdio, Hamburger fotografou em diversos lugares do Brasil e até mesmo fora do país para revistas, capas de livros, discos e agências de publicidade. De lá pra cá, trabalhou com diversas marcas, como MTV, Tim, Pampers, Marie Claire, entre outras. No começo dos anos 2000, voltou-se para a pesquisa de novas linguagens fotográficas e outras mídias.

Em entrevista para o site do Pivô, espaço de arte contemporânea, Hamburger diz não saber se tem um processo criativo claro, às vezes tem uma ideia que surge de algum pensamento ou de uma imagem.

Sua primeira exposição individual, Noites em Claro, foi realizada em 2004 na Pinacoteca de São Paulo.

Foto: Feco Hamburger

Foto: Feco Hamburger

Seu trabalho já foi exposto na Pinacoteca do Estado de São Paulo – onde também possui acervo de obras -, no Museu de Arte Moderna e no Paço Imperial, no Rio de Janeiro. Em 2012, recebeu o Prêmio Abril de Jornalismo na categoria de melhor ensaio fotográfico e menção especial no Prêmio Brasil de Fotografia.

“O campo da arte é onde posso trabalhar com grau máximo de liberdade, ainda que na medida elástica do possível. Entre o controle e o deixar existir, as relações. As porosidades, o vazio, o contraditório. O tempo”, diz Hamburger em seu site. O artista entende seu trabalho para além da fotografia. Para ele, o ato fotográfico é um ponto de partida “para lidar com a coisa, sua natureza e condição, e não mais com seu objeto”.

Seu mais recente trabalho, chamado de Eppur si Muove, referência a polêmica frase de Galileu Galilei: “no entanto, se move”. Este projeto tem como intuito desafiar os limites da fotografia e da representação, para o fotógrafo há um espaço/tempo elástico entre o documento fotográfico e o sonho de mundo, é nisto que Feco se interessa.

Foto: Feco Hamburger. Hayabusa ou O falcão peregrino, 2018, Jato de tinta sobre papel de algodão e aço inox, 100 x 150 cm

 

Foto: Feco Hamburger. Moby Dick 2, 2018, Impressão jato de tinta sobre papel de algodão 90x150cm.

EPPUR SI MUOVE 6

Foto: Feco Hamburger. Via Lactea 3 Lago com 1 objeto voador, 2018, Impressão jato de tinta sobre papel de algodão, aço inox 71x160cm.

Redigido por Rafaela Knevitz
Hub ESPM-Sul
30
ago

Thomas Kellner: Genius Loci

 

 

As relações históricas entre as cidades de Siegen (Alemanha) e Yekaterinburg e Perm (Rússia) são o tema da série Genius Loci – expressão latina que corresponde à “espírito do lugar” – do fotógrafo alemão Thomas Kellner. O vínculo entre as localidades é o seguinte: em virtude de seus conhecimentos de metalurgia, o engenheiro alemão Georg Wilhelm Henning (1676 – 1750), natural de Siegen, foi convidado pelo czar Pedro, o Grande, no século 18, para desenvolver a indústria russa, principalmente em Yekaterinburg e Perm.

 

 

 

 

Kellner visitou as cidades em busca de relações arquitetônicas entre elas, principalmente no que diz respeito às plantas industriais da região alemã de Siegerland e dos Urais, na Rússia. Suas imagens são obtidas de forma analógica, fazendo uso de película 35 milímetros. Cada uma delas ocupa um lugar específico nas composições que reúnem os fragmentos.

 

 

 

 

As cidades Yekaterinburg e Perm, mais tarde, viriam a se tornar polos industriais. A atuação de Henning ainda se estendeu pela Europa – na década de 1720, ele fundou as primeiras escolas de mineração na Rússia e viajou pela Europa para promover o ofício.

 

 

 

 

Os ângulos escolhidos pelo fotógrafo acabam gerando um grande mosaico formado por fotogramas. É possível distinguir as construções escolhidas por Kellner. No entanto, sua estética fragmentária utiliza enquadramentos que desfazem uma eventual imagem completa dos locais. Na recombinação do que é observado, o fotógrafo abre espaço para o estranhamento e para uma atenção maior a cada elemento que forma as imagens.

 

 

 

 

Thomas Kellner nasceu em Bonn, em 1966. Estudou artes, sociologia, política e economia na Universidade de Siegen. Já realizou exposições em cidades como Londres, Paris, Nova York e Brasília – onde desenvolveu um trabalho relacionado aos 50 anos da capital brasileira, em 2010.

 

26
abr

John Clang: tempos e espaços que sobrepõem

 

 

As fotomontagens da série Time, de John Clang, reúnem imagens de espaços urbanos obtidas em diferentes momentos, compondo um mosaico de personagens que percorreram um determinado local. Nas fotos, Clang busca revelar sutilezas do cotidiano e como as pessoas estão próximas umas das outras, apesar de toda a velocidade da vida nas grandes cidades.

 

 

 

 

“Sempre me intriguei pelas mudanças sutis do meu entorno urbano. Cada uma delas afeta meus pensamentos e sentimentos”, conta o fotógrafo. “Nessa série, exploro como o tempo se move nesse espaço aparentemente estático. As pessoas se tornam a energia movente que flui, demarcando as mudanças, formando o tempo”, completa.

 

 

 

 

O fotógrafo também explora seu fascínio pela possibilidade de que exista uma infinidade de dimensões no universo e vidas em formas similares nesses outros planos. Uma reflexão que, nas fotos de Clang, encontra sua apresentação estética na fotomontagem.

 

 

 

 

Nascido em Singapura, em 1973, John Clang se interessa pela fotografia urbana e também por questões relacionadas à identidade e à memoria. Além de desenvolver projetos pessoais, é também um conceituado fotógrafo de publicidade, com trabalhos para marcas como Nike, Evian e Motorola. Atualmente vive e trabalha em Nova York.