Skip to content

Posts from the ‘Cor’ Category

9
nov

Fred Pompermayer e o mar: paixão e trabalho

Retrato de Fred Pompermayer

 

Fotógrafo brasileiro de surfe com maior reconhecimento no exterior, Fred Pompermayer, 38 anos, mora há 11 anos na Califórnia, lugar que escolheu para ficar mais perto de sua paixão – o mar. De Los Angeles, tem fácil acesso para viagens que possam surgir de última hora para diferentes regiões do mundo.

Formado em arquitetura, optou por buscar desafios que instiguem sua criatividade, focando desde cedo na carreira fotográfica. Seu diferencial está na prática de construir suas próprias caixas estanques, utilizadas nas câmeras para fotografias subaquáticas.

Renomado internacionalmente há mais de uma década, dedica-se a produções que retratam o Big Wave Surfing e os esportes de aventura. Suas fotos já foram publicadas em centenas de edições, entre elas, algumas das revistas mais prestigiadas de surfe do mundo, além de diversos livros. Marcas como Oakley, Quiksilver, Red Bull, Billabong, Volcom, Fox e SanDisk estão entre seus clientes.

Foto: Fred Pompermayer

Em entrevista para o site da RedBull, Fred diz que o olhar artístico está no seu DNA. “Minha família toda tem seu lado criativo e artístico, mas foi na faculdade de arquitetura que tive os primeiros contatos com equipamento fotográfico profissional”. Ele ainda fala que a fotografia é um maravilhoso meio de expressão. “Tenho o privilégio de fazer o que gosto, produzir imagens que toquem um sentimento, que façam as pessoas refletirem, algumas vezes aproximando-as de sentimentos como o medo, outras vezes a tranquilidade, o desafio…. Sempre com criatividade”.

Foto: Fred Pompermayer

Premiado mundialmente, recebeu, em 2012, o Prêmio Fluir de melhor capa e melhor foto. Entre os troféus mais importantes, está o XXL Awards, conhecido como o Oscar do surfe de ondas grandes. Desde 2007, Pompermayer já foi finalista diversas vezes, com suas imagens surpreendentes de esportes ao ar livre.

Atualmente ele faz parte do time de fotógrafos da SanDisk e RedBull, e fotografa para clientes como Oakley, Quiksilver, Patagonia, Oneil, Dakine, Billabong, Reef, Volcom, Fox, Xcel, HB, Suunto, Mitsubishi entre outros.

Foto: Fred Popermayer

Foto: Fred Pompermayer/Redbull

Redigido por Julia Barros
HUB ESPM-Sul 

12
out

McNally: O Mágico de Oz

Retrato de McNally

 

Joe McNally é conhecido por sua criatividade e por sua capacidade de transformá-la em fotografias impressionantes. Seu cuidado com a técnica, como iluminação e composição, fica evidente em suas produções. Com trabalhos em quase 70 países, o fotógrafo conseguiu unir o mundo da publicidade com o do fotojornalismo.

 

Foto: Joe Mcnally

Ao longo de sua carreira, trabalhou com empresas como FedEx, Sony, ESPN, Adidas, General Electric e Epson. Além disso, fotografou para capas da National Geographic, LIFE e Sports Illustrated. Segundo o artista, seu grande diferencial é sua habilidade de pesquisa.

Foto: Joe Mcnally

Ganhou o primeiro Prêmio Alfred Eisenstaedt de Impacto Jornalístico pela cobertura da LIFE intitulada “Panorama da Guerra”.

Foto: Joe Mcnally

“Essa sessão, na verdade, foi uma história posterior. Eu busquei retratar, em zonas pós-guerra, a varredura da destruição. As consequências do conflito para as pessoas e lugares. O dano em toda a sua largura”, declara o artista.

Redigido por Luis Henrique Cunha
Hub ESPM-Sul
7
abr

A etnografia do insignificante de Manuel Franquelo

 

 

Uma investigação sobre o banal, o acúmulo, os cantos, os resíduos. A série Things in a Room: An Ethnography of the Insignificant [Coisas numa sala: uma etnografia do insignificante], do fotógrafo espanhol Manuel Franquelo, dedica atenção a seu estúdio, repleto de objetos acumulados ao longo dos últimos 30 anos.

 

 

 

 

Tempo, memória, inconsciente. Uma das principais influências do trabalho é o conceito de infra-ordinário do escritor francês Georges Perec, que se refere a tudo aquilo que de tão corriqueiro passa totalmente despercebido no dia a dia. A partir de reflexão semelhante, desde 2012 Franquelo fotografa seu estúdio, realizando mais tarde impressões de grandes dimensões. A série ganhou destaque nos últimos meses, sendo exposta na Michael Hoppen Gallery, em Londres.

 

 

 

 

Indo na contramão do instante decisivo, o fotógrafo diz que busca produzir imagens atemporais, numa espécie de inventário do banal. Além da sua atuação com fotografia e pintura, Franquelo tem em seu currículo a construção da impressora 3D Lucida, que imprime obras de arte com uma riqueza de detalhes que alcança os décimos de milímetro, segundo reportagem do jornal espanhol El País. Outra faceta do fotógrafo em sua relação e obsessão com as representações do real.

 

 

 

 

 

Nascido em Málaga, Espanha, em 1953, Manuel Franquelo ingressou no curso de engenharia de telecomunicações no início de sua vida adulta, mas depois de quatro anos foi estudar artes na Academia de Bellas Artes de San Fernando. Unindo conhecimentos e técnicas dessas formações, Franquelo desenvolve séries fotográficas hiper-reais e aperfeiçoa sua impressora 3D.