Skip to content

Archive for janeiro, 2017

20
jan

Katrina Kepule: um olhar para a Europa periférica

 

 

Sente silenciosamente. O título da série da fotógrafa Katrina Kepule é um convite para observar o cotidiano com olhos atentos. Ou como escreveu Kafka, citado no texto que acompanha o ensaio: “Você não precisa sair da sala. Permaneça sentado à mesa e escute. Nem mesmo ouça, apenas espere, fique quieto, parado e solitário. O mundo se abrirá para que você o desmascare. Ele não tem escolha, vai rolar em êxtase aos seus pés”.

 

 

 

 

No caso de Kepule, essa abertura para o mundo se dá nas imediações de Riga, capital da Letônia, sua cidade natal. As imagens sugerem a experiência de um outro tempo, desacelerado e aberto para a auto-expressão. Uma forma de estar no mundo que fica à margem – geográfica e emocionalmente – dos grandes centros urbanos.

 

 

 

 

A fotógrafa busca também retratar espaços em que a Europa contemporânea se encontra com diferentes camadas do passado. Essas sobreposições aparecem em diversos locais: dentro de casas, na rua, em retratos e fotos que mostram instantes banais. Ao mostrar a periferia de sua cidade, Kepule reflete também sobre a posição dos países do leste em relação à Europa ocidental.

 

 

 

 

 

Formada em cultura audiovisual pela Academia de Cultura da Letônia, Katrina Kepule mais tarde aprofundou seus conhecimentos fotografia contemporânea na escola EFTI, em Madri. Desde 2007 participa de exposições coletivas e desenvolve projetos pessoais em paralelo aos estudos.

 

 

17
jan

Janne Körkkö: cenas de Serra Leoa pós-Ebola

 

 

O ensaio Money State Community do fotógrafo finlandês Janne Körkkö mostra o dia a dia de um lixão em Freetown, capital de Serra Leoa. O local revela consequências não só da pobreza como também da recente epidemia de Ebola no país.

 

 

 

 

Ao longo de um mês, Körkkö conviveu com os frequentadores e habitantes do local – muitos deles, moradores de rua e ex-combatentes infantis em conflitos da região. O trabalho é repleto de perigos devido ao contato com o lixo e também pelos crimes que acontecem no local.

 

 

 

 

A vida de muitas dessas pessoas se dá a maior parte do tempo no lixão, sendo normal os encontros para consumo de drogas à noite – momentos de uma “folga” em um lugar absurdo para se viver. A rotina dos habitantes do lixão ainda tem outro componente sórdido: cadáveres são levados ao local por famílias que não têm condições de pagar um enterro. Tudo isso somado ao temor de novas contaminações pelo Ebola.

 

 

 

 

Além de fotógrafo, Janne Körkkö também produz vídeos documentais. Seus trabalhos focam principalmente em questões de vulnerabilidade social.

13
jan

Javier Corso: o lado sombrio da Finlândia

 

 

Admirada por seus elevados padrões de bem-estar e igualdade social, a Finlândia possui um lado menos conhecido internacionalmente, mas vivido de forma intensa por seus habitantes. É essa faceta de tons mais sombrios que o fotógrafo espanhol Javier Corso apresenta na série Fishshot [nome de uma bebida popular no norte da Europa].

 

 

 

 

“É um documentário sobre a solidão, o isolamento emocional e repressão dos sentimentos na sociedade finlandesa”, define o fotógrafo. “Esses problemas aumentam quando as pessoas começam a beber para enfrentá-los. O consumo excessivo de álcool está presente em mais da metade dos casos de suicídio, homicídio e violência de gênero”, relata.

 

 

 

 

No documentário homônimo ao ensaio, dirigido por Lucía Pérez de Souto, com fotografia de Corso, especialistas falam especialmente sobre a dimensão do alcoolismo na sociedade finlandesa – e sobre como o consumo excessivo de álcool surge como companhia para muitas pessoas que vivem sozinhas e não buscam ajuda para tratar de suas questões mais íntimas. É esse universo subjetivo que o fotógrafo busca retratar em suas imagens.

 

 

 

 

Nascido em 1989 na Espanha, Javier Corso é diretor e fundador da agência de documentários OAK stories. Seu trabalho fotográfico visa aspectos da condição humana em microescala e já foi publicado em espaços como o site Lighbox, da revista TIME, VICE e El País.