Skip to content

Archive for maio, 2016

31
mai

10 por 1, de Bogdan Gîrbovan

 

 

Apartamentos com plantas idênticas eram comuns nos anos de hegemonia comunista no leste europeu. O objetivo, nas palavras do fotógrafo romeno Bogdan Gîrbovan, era restringir “inclinações individualistas”, consideradas uma ameaça aos ideais vigentes no regime. Tendo esse contexto como pano de fundo, Gîrbovan concebeu a série 10/1.

 

 

 

As imagens mostram dez apartamentos de um mesmo edifício na zona leste de Bucareste, exatamente no mesmo local onde vive o fotógrafo. Idênticos na distribuição dos cômodos, revelam em seu interior um pouco da personalidade de cada morador.

 

 

 

“Fiz uma fotografia de cada apartamento a partir do mesmo ângulo, de modo a ilustrar melhor a mescla de classes sociais do bloco, apresentando diferenças apenas nos personagens e na decoração dos interiores.

 

 

 

As salas podem ser vistas como uma representação psicológica daqueles que vivem nelas, refletindo sua história e sua relação com os dias atuais”, conta o fotógrafo em entrevista.

 

 

 

Nascido em 1981, Bogdan Gîrbovan vive e trabalha em Bucareste. Atualmente, cursa mestrado em fotografia e vídeo na Academia de Belas Artes de Bucareste. Seu trabalho investiga principalmente as relações sociais na Romênia.

 

 

27
mai

É menino, de Tytia Habing

 

 

Um ensaio sobre o que é extremamente próximo e ainda assim repleto de surpresas e prenhe de descobertas. A fotógrafa Tytia Habing narra em imagens o novo universo a que teve acesso ao criar seu primeiro filho – após esperar que fosse dar à luz a uma menina. “Desde então, minha vida se encheu de sujeira, tênis cheios de areia, adesivos, joelhos ralados, carrinhos, caixas de papelão, armas de brinquedo e um senso de diversão interminável com essa pequena criatura estrangeira que eu trouxe ao mundo”, conta a fotógrafa.

 

 

 

 

 

Habing fotografa a série This is Boy (2011-2015) em preto e branco, o que contribui para transportar o espectador a um certo tempo particular da infância em que tudo parece ser eterno. Uma aura de mistério atravessa as imagens, e o olhar da fotógrafa parece cúmplice da magia infantil que vislumbra um mundo enorme a ser descoberto.

 

 

 

 

 

Excitação, medo, tédio, alegria, assombro. Uma série de sentimentos ganha forma de modo um tanto complexa nas fotografias. As imagens nos transportam a um cotidiano de brincadeiras e instantes repletos de sensações por vezes confusas, em outras, repletas de encantamento com o mais prosaico.

 

 

 

 

 

O contato com a natureza é uma das ênfases do dia a dia do personagem da série e de sua mãe, que relata ter optado por uma vida mais conectada com a terra. De certa forma, é essa conexão que Habing parece buscar retratar: momentos aparentemente insignificantes que, no entanto, revelam um modo de vida em que se valoriza tudo aquilo que é simples.

 

 

 

 

 

Tytia Habing vive e trabalha em Watson, Illinois (EUA), localidade próxima de onde cresceu em uma fazenda. Estudou horticultura e arquitetura, tornando-se fotógrafa autodidata. Desde que passou a desenvolver seu trabalho fotográfico, já publicou suas imagens em diversos periódicos especializados, participando também de exposições.

24
mai

Reuben Wu: paisagens em nova perspectiva

 

 

O uso de drones tem se disseminado para a captura de fotos e vídeos a partir de pontos de vista que anteriormente eram impossíveis. O fotógrafo Reuben Wu, no entanto, utiliza essa tecnologia de modo particular: em vez de acoplar câmeras no dispositivo, ele utiliza o equipamento para iluminar as paisagens que fotografa. Como resultado, a série Lux Noctis apresenta a Terra de forma misteriosa, com ares de uma exploração espacial de outro planeta.

 

 

 

“Todos os dias, somos sobrecarregados por imagens do nosso planeta. Elas são belíssimas, mas queria ir além, mostrando as paisagens quase como abstrações”, conta o fotógrafo. As imagens remetem também à tradição da fotografia de paisagens e às pinturas do Romantismo.

 

 

 

Wu usa um drone 3DR Solo, equipado com um protótipo de luz LED da marca Fiilex. Para obter as imagens, é essencial que o equipamento seja extremamente portátil, já que o fotógrafo se movimenta por áreas de difícil acesso. Após escolher a locação, Wu aguarda o anoitecer. Depois, posiciona sua câmera no solo e comanda o drone para que ilumine a paisagem. A luz é posicionada desde diferentes ângulos, permitindo ao fotógrafo maior controle na pós-produção.

 

 

 

Nascido em Liverpool, Reino Unido, em 1975, Reuben Wu é também cineasta, músico e produtor musical. Em seu trabalho fotográfico, tem interesse especial por paisagens e pela exploração de novas tecnologias para a produção de imagens. Com a série Lux Noctis, obteve reconhecimento de publicações especializadas em fotografia e tecnologia.