Skip to content

Archive for junho, 2015

30
jun

Irmãos Ferrari: vistas da cidade de Porto Alegre

 

Guilherme Lund

 

Já resgatamos por aqui a produção de importantes nomes das origens da fotografia em Porto Alegre como Virgílio Calegari e Sioma Breitman, fundamentais para o desenvolvimento das práticas fotográficas na cidade. No post de hoje contamos a história de dois personagens que também fazem parte dessa história: os irmãos Ferrari.

 

Acervo Museu de Porto Alegre Joaquim Felizardo 

Acervo Museu de Porto Alegre Joaquim Felizardo

Acervo Museu de Porto Alegre Joaquim Felizardo

Carlos e Jacintho Ferrari herdaram do pai, Rafael, o ofício da fotografia. Conforme a dissertação “Visões de Porto Alegre nas fotografias dos irmãos Ferrari (c. 1888) e de Virgílio Calegari (c. 1912)”, de Carolina Martins Etcheverry, a dupla fundou a empresa Photographia Ferrari & Irmão (mais tarde chamada apenas Photographia Ferrari), na rua Duque de Caxias – onde a família já atuava desde 1883.

 

Acervo Museu de Porto Alegre Joaquim Felizardo

Acervo Museu de Porto Alegre Joaquim Felizardo

Acervo Museu de Porto Alegre Joaquim Felizardo

 

Como se pode observar nas imagens, aspectos da paisagem urbana de Porto Alegre são os protagonistas da produção dos Ferrari. “O maior feito destes fotógrafos é, portanto, sua produção de vistas da cidade, que proporcionou, então, o conhecimento de aspectos da cidade aos seus habitantes e, contemporaneamente, ajudam a conhecer uma cidade que não mantém a mesma fisionomia”, observa a pesquisadora.

 

Acervo Museu de Porto Alegre Joaquim Felizardo

Acervo Museu de Porto Alegre Joaquim Felizardo

 

Acervo Museu de Porto Alegre Joaquim Felizardo

Os fotógrafos testemunharam as transformação de uma cidade que passava por um processo recente de urbanização e diversificação de sua população, nas décadas que se seguiram à Revolução Farroupilha. O Guaíba também é personagem de muitas das imagens, que retratam a movimentação pelas águas do entorno da cidade – algumas delas intituladas “Panoramas”.

 

Acervo Museu de Porto Alegre Joaquim Felizardo

Acervo Museu de Porto Alegre Joaquim Felizardo

Acervo Museu de Porto Alegre Joaquim Felizardo

A trajetória dos irmãos Ferrari é riquíssima. Nosso relato segue em um próximo post, no qual abordaremos o trabalho de difusão das fotografias desenvolvido pelos Ferrari, inovador à época.

26
jun

Vadim Stein: Movimento e plasticidade dos corpos

 

 

As imagens de Vadim Stein revelam muito mais do que um olhar atento para o corpo humano. Rapidamente é possível perceber a afinidade do fotógrafo com a dança e a escultura. Movimento e plasticidade são dois atributos que se destacam nas fotografias.

 

 

 

 

Nascido em Kiev (Ucrânia), em 1967, Vadim estudou escultura e restauro e mais tarde passou a trabalhar com teatro. Nessa experiência profissional – atuando como ator e designer de luz –, acabou se aproximando da fotografia para registrar as montagens das quais participava.

 

 

 

 

“Resolvendo questões estéticas, também revelo muitas questões éticas. Para mim, coisas como o amor e a morte são reveladas por meio da estética – a beleza é predecessora da ética”, reflete o fotógrafo, que atualmente vive e trabalha em São Petersburgo (Rússia).

 

 

 

23
jun

Sophie Gamand e o melhor espelho do homem

 

 

Parte de um projeto maior que investiga as semelhanças entre humanos e outros animais, a série Wet Dog da fotógrafa nova-iorquina Sophie Gamand mostra retratos pouco usuais. Nem é preciso dizer que os cachorros fotografados foram flagrados em um momento um tanto incômodo para muitos deles.

 

 

 

 

A série foi vencedora da categoria de retratos do Sony World Photography de 2014. Nas fotografias, a expressão dos cachorros nos remete a feições humanas e se revela uma faceta do processo de domesticação dos animais.

 

 

 

 

No texto que acompanha a série, Sophie comenta que o “espelhamento” das expressões humanas nos cachorros diz muito sobre a relação que construímos com esses animais e, em sentido mais amplo, sobre nossa solidão e sobre os desafios da vida em sociedade.

 

 

 

 

As imagens foram obtidas com a ajuda de um adestrador profissional no bairro do Bronx, em Nova York, e já ganham o mundo sendo vendidas em reproduções individuais, antes da publicação de um livro que reunirá toda a série, previsto para ser lançado ainda em 2015.