Skip to content

Archive for maio, 2015

15
mai

O universo onírico de Keith Carter

 

 

Atmosfera é uma palavra que define bem o que o fotógrafo Keith Carter concebe em cada imagem de seus ensaios. Suas fotografias em preto e branco revelam um universo de mistério, um mundo onírico carregado de fantasia.

 

 

 

“Minhas imagens, por vezes, tendem a um lado escuro e solitário. Em meu mundo de verdades e meias-verdades, os personagens podem ser deslocados ou decaídos, mas minhas crianças vivem num reino onde tudo que cai tem chance de ser resgatado”, conta o fotógrafo.

 

 

 

Tudo parece perpassado por memórias distantes – certo clima fantasmagórico que faz pensar em tempos e espaços variados convivendo em uma mesma imagem. Diversas camadas de interpretação estão presentes nas fotografias, e o que está fora de foco é tão importante quanto o que se vê de forma mais nítida. Nada, no entanto, é exatamente o que parece ser.

 

 

 

Keith Carter nasceu em 1948, em Madison, Winsconsin (EUA). Já participou de mais de cem exposições individuais em diversos países. Suas fotografias fazem parte de inúmeras coleções públicas e privadas, incluindo a National Gallery, de Londres, e o Getty Museum, de Los Angeles.

 

 

 

12
mai

Oscar Ciutat: olhares enjaulados

 

 

Uma visita ao zoológico deu origem à série Caged [Enjaulados], do espanhol Oscar Ciutat. “Basicamente, o objetivo da série era testar a capacidade da fotografia de provocar empatia nas pessoas”, define o fotógrafo. Óscar passou então a observar as reações de quem tem contato com as imagens de animais em cativeiro.

 

 

 

 

“Algumas pessoas sentem pena dos animais, enquanto outras não veem nenhum problema na existência dos zoológicos”, explica o fotógrafo, que deixa a interpretação em aberto, sem se posicionar em relação ao cativeiro dos seus fotografados.

 

 

 

 

Oscar ressalta que o olhar dos animais foi o que desde o início lhe chamou a atenção e que passou a ser o fio condutor da série. “Me perguntei se aquele velho ditado ‘os olhos são a janela da alma’ seria verdadeiro também em relação aos animais”, indaga.

 

 

 

 

Vivendo e trabalhando em Barcelona, Oscar Ciutat trabalha com fotografia desde 2001. Realizou diversas exposições coletivas , principalmente na Catalunha, e já teve suas fotos publicadas em periódicos como Esquire e L’Espresso. Desde 2014 faz parte do time de coordenadores do Clube de Fotolivros de Barcelona, dedicado aos livros de fotografia.

 

 

 

8
mai

As escadarias de Philipp Götze

 

 

“Quando visito uma nova cidade, sempre gosto de fotografar, pelo menos, uma escadaria.” Com essa obsessão, o fotógrafo alemão Philipp Götze registra interiores de edifícios de cidades europeias. A atenção do fotógrafo é dedicada especialmente às escadas, observadas de ângulos que criam espirais no plano da fotografia.

 

 

 

“É mais frequente encontrar essas escadas por acaso, como resultado de uma busca por edifícios de maior porte que dão a impressão de ter escadas espaçosas em seu interior”, conta Philipp. “No entanto, não gosto de contar somente com a sorte, por isso faço uma mínima pesquisa prévia”, completa.

 

 

 

Nas buscas, Philipp acaba descobrindo histórias de moradores, projetos e da própria arquitetura de bairros e cidades. Pouco a pouco, o fotógrafo desenha um mapa de estilos e de ideias por trás dos projetos.

 

 

 

A tipologia construída pelo fotógrafo, ao mesmo tempo que informa sobre a linguagem arquitetônica dos espaços, leva a um ponto de abstração quando vista em conjunto. As espirais ganham evidência e revelam formas variadas – das mais curvilíneas àquelas mais angulares.

 

 

 

Outro aspecto é a escolha das tomadas a 90 graus, que subverte algumas noções espaciais. Nas fotografias, as escadarias registradas por Philipp têm sua tridimensionalidade transformada, dando a impressão, por vezes, de que estamos diante de uma pintura.